Nacional

Vitória do Espírito Santo, um passeio ideal para a terceira idade

Vitória do Espírito Santo para idosos

O pequeno estado do Espírito Santo, no Sudeste do País, vem investindo no turismo e apresentando crescimento nos níveis de qualidade de vida considerando a média nacional. Lá, praias, montanhas, vegetação rica e diversas atrações culturais convivem em harmonia, permitindo a quem visita o local aproveitar o destino de várias formas diferentes.

Conheça os principais pontos turísticos do Espírito Santo no trecho Vitória/Vila Velha para você conhecer em um dia

Uma das principais particularidades do Espírito Santo é que o centro turístico e administrativo do estado fica em uma ilha conhecida como Ilha de Vitória devido ao nome de sua capital. A ilha é ligada às outras regiões por pontes, e é justamente por elas que é possível explorar de forma rápida o melhor do trecho Vitória/Vila Velha.

Como são regiões cercadas por mar, o clima da lá é bem litorâneo e as convidativas praias são consideradas um dos principais atrativos. Conhecer a Praia da Costa e a de Itapõa estava nos planos, mas a chuva – algo relativamente incomum por lá – não permitiu. A princípio parecia que não daria para fazer quase nenhum passeio, mas, no fim, ficou claro que dá para curtir (e muito) um passeio por lá mesmo sem dar um mergulho no mar.

O passeio começou saindo de Vitória e, para chegar a Vila Velha , foi preciso pegar a Terceira Ponte, trajeto que tem 5 km e leva menos de 15 minutos. Vila Velha está entre os municípios brasileiros mais antigos do País e foi justamente lá que a história do Espírito Santo começou. Um dos principais pontos turísticos da cidade é o Convento da Penha, e foi essa a primeira parada.

Convento da Penha

No Convento da Penha acontecem missas todos os dias das 5h às 17h e atrai fiéis o ano todo

No Convento da Penha acontecem missas todos os dias das 5h às 17h e atrai fiéis o ano todo

O turismo religioso está se mostrando muito forte no estado e, durante todo o ano, esse segmento movimenta o destino, atraindo visitantes de todos os cantos. A Festa da Penha , que acontece em abril, é uma das maiores festividades do Espírito Santo, pois homenageia a padroeira do estado.

Para se ter uma ideia, só nessa época do ano, o destino recebe cerca de 1,5 milhão de turistas para as festividades espalhadas pelas regiões, e a que acontece no Convento da Penha é a principal delas.

Mesmo recebendo o nome de convento, o local não era um abrigo para freiras, mas sim para freis, membros religiosos de ordem franciscana que têm São Francisco de Assis como principal referência.

Para conhecer o loca, que fica a 156 metros de altitude, é possível ir de carro ou pagar para subir de van até determinado ponto e, em seguida, encarar uma escadaria de cerca de 116 degraus. Após a subida, o visitante se depara com uma vista de tirar o fôlego que abrange o oceano, a Terceira Ponte e parte de Vitória.

Mesmo com o tempo nublado, a vista do Convento da Penha é muito bela; até essa parte do trajeto é possível ir de carro

Mesmo com o tempo nublado, a vista do Convento da Penha é muito bela; até essa parte do trajeto é possível ir de carro

Subindo mais um pouco, é possível chegar ao topo e conhecer a igreja que abriga a imagem original de Nossa Senhora das Alegrias, vinda de Lisboa no século passado. O convento foi construído no alto do morro porque, segundo uma lenda local, a imagem da santa desapareceu dos pés da ladeira e foi encontrada no topo do morro por três vezes e o fundador, frei Pedro Palácios, encarou esse curioso fato como um sinal divino.

Todos os dias, diversos fiéis sobem as escadarias para visitar a igreja e assistir às missas que acontecem diariamente das 5h às 17h.

Uma das maiores recompensas de subir as escadarias do convento é se deparar com uma belíssima visão da cidade

Uma das maiores recompensas de subir as escadarias do convento é se deparar com uma belíssima visão da cidade.

Casa da Memória

Perto do convento, no Parque da Prainha, centro histórico de Vila Velha, fica a Casa da Memória, um pequeno museu localizado dentro de uma construção do final do século 19. No local, o visitante encontra um acervo histórico com fotos, estátuas e outros objetos que ajudam a conhecer um pouco da história e cultura local.

O bondinho foi recentemente restaurado e fica exposto na Casa da Memória; você inclusive pode subir nele e tirar fotos

O bondinho foi recentemente restaurado e fica exposto na Casa da Memória; você inclusive pode subir nele e tirar fotos

Uma das relíquias que mais chamam a atenção é o bondinho que costumava ser usado em épocas passadas. Recentemente restaurado ele fica exposto para que os turistas entrem e tirem fotos nele. A entrada na Casa da Memória é gratuita.

Igreja do Rosário

A Igreja do Rosário é a mais antiga do Espírito Santo e foi uma das primeiras a ser construída no Brasil, em 1535

A Igreja do Rosário é a mais antiga do Espírito Santo e foi uma das primeiras a ser construída no Brasil, em 1535

Outra parada interessante para quem gosta de história e turismo religioso é a Igreja do Rosário. Além de ser a primeira igreja do Espírito Santo, ela foi a quarta a ser construída no Brasil (em 1535) e é a mais antiga em funcionamento no País.

Interior da Igreja do Rosário, no centro histórico

Interior da Igreja do Rosário, no centro histórico

A igreja tem a idade de Vila Velha e, devido à sua importância, foi recentemente restaurada. O monumento foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e também pelo município de Vila Velha.

A igreja fica na Praça da Bandeira, que também é conhecida como região da Prainha.

Semanalmente acontecem missas por lá, mas ela fica aberta diariamente, das 9h às 17h, para visitação e possui guias disponíveis para contar um pouco da história do local e revelar detalhes dessa antiga construção.

Farol de Santa Luzia

O Farol de Santa Luzia também fica no município de Vila Velha e atrai inúmeros visitantes, pois, ao chegar ao lugar de localização privilegiada, é possível ver três municípios: Vila Velha, Vitória e Serra. O farol, quem tem 12 metros de altura, foi construído na Escócia e trazido em partes para o Brasil. Quem inaugurou o local foi Dom Pedro II em 1871. Em 1985, o terreno da área foi entregue à Marinha do Brasil, que, desde estão, passou a ser responsável pela área.
O Farol de Santa Luzia tem uma localização privilegiada e de lá o turista tem uma vista de Vila Velha, Vitória e Serra

O Farol de Santa Luzia tem uma localização privilegiada e de lá o turista tem uma vista de Vila Velha, Vitória e Serra

O farol continua funcionando, mas, hoje, à base de energia elétrica. Quando foi instalado, ele tinha a finalidade de indicar aos navegantes a entrada do canal de acesso ao Porto de Vitória, mas, com os avanços tecnológicos, não tem mais essa função e se transformou em um ponto turístico.

O local pertence a marinha e por lá você encontra várias referências náuticas e até uma loja para comprar lembrancinhas

O local pertence a marinha e por lá você encontra várias referências náuticas e até uma loja para comprar lembrancinhas

Além do farol e da vista, a atração conta com outras curiosidades, como uma exposição dos tipos de nós feitos pelos marinheiros. A entrada no local é gratuita e há guias disponíveis para tirar as dúvidas dos visitantes.

Praia Secreta

A Praia Secreta ficou popular por possuir um clima de praia privativa e desde que foi descoberta costuma ficar cheia

A Praia Secreta ficou popular por possuir um clima de praia privativa e desde que foi descoberta costuma ficar cheia

Uma curiosidade é que, próximo ao farol (menos de cinco minutos a pé), há um grande muro rústico de concreto com uma pequena abertura. A princípio, ele dá a impressão de que há uma propriedade particular a partir dali, mas, na verdade é apenas uma fachada. Ao passar pela abertura feita no muro, ele revela a Praia Secreta , que foi descoberta pelos turistas e ganhou visibilidade por possuir um ar de praia privativa com águas calmas e cristalinas.

O fluxo de banhistas passou a ser tão intenso, que uma rampa de concreto foi construída para facilitar o acesso

O fluxo de banhistas passou a ser tão intenso, que uma rampa de concreto foi construída para facilitar o acesso

Por ter se popularizado durante o verão de 2017, porém, o que era “secreto” passou a receber um grande número de visitantes. A movimentação foi tanta que até uma rampa de concreto foi construída para facilitar o acesso dos banhistas ao pequeno paraíso.

Palácio Anchieta

Voltando para Vitória pela Segunda Ponte, o passeio seguiu para o Palácio Anchieta, também conhecido como Palácio do Governador. A construção de 1570 começou a ser erguida pelo padre José de Anchieta e, na época, funcionava por lá o Colégio de São Tiago. Muitos anos depois, o local passou a ser sede do Governo Estadual e, em 1945, o então governador, Jones dos Santos Neves, decretou que o palácio receberia o sobrenome do padre fundador.

O Palácio Anchieta recebeu esse nome em homenagem ao padre José de Anchieta, que foi um dos fundadores do local
O Palácio Anchieta recebeu esse nome em homenagem ao padre José de Anchieta, que foi um dos fundadores do local.

O local foi tombado pelo Conselho Estadual de Cultura em 1983 e, recentemente, passou por uma restauração. Como possui grande valor cultural, passou a abrigar apenas os setores ligados ao Gabinete do Governador, abrindo a possibilidade de transformar o palácio em um museu que recebe exposições com frequência. Para conhecer os detalhes dessa imponente construção que abriga o túmulo de José de Anchieta, basta fazer uma visita guiada gratuitamente.

Catedral Metropolitana

A Catedral Metropolitana fica em Vitória e impressiona por sua grandiosidade, tanto do lado de fora quanto no de dentro

A Catedral Metropolitana fica em Vitória e impressiona por sua grandiosidade, tanto do lado de fora quanto no de dentro

Em Vitória, há ainda outra importante construção: a Catedral Metropolitana. O local possui um estilo eclético com características neogóticas e demorou 50 anos para a construção ser finalizada. A igreja recebe o nome de catedral por possuir a cátedra – uma cadeira na qual só o bispo pode se sentar. Além de sua grandiosidade em tamanho, os belíssimos vitrais que compõe seu interior impressionam e muito. Vale a pena a visita!

Gastronomia

Por ser um Estado cercado por água, os frutos do mar são muito populares na cozinha do Espírito Santo. Se você não gosta de peixe, pode ficar tranquilo, pois vai encontrar restaurantes e redes de fast food de todo o tipo, mas se a vontade é de degustar pratos locais, o indicado é conhecer restaurantes especializados nas delícias do mar.

A torta capixaba contém 10 frutos do mar e é muito feita no Espírito Santo na Sexta-feria Santa e tem em restaurantes

A torta capixaba contém 10 frutos do mar e é muito feita no Espírito Santo na Sexta-feria Santa e tem em restaurantes

A torta capixaba, por exemplo, é um prato típico que costuma ser feito na Sexta-feira Santa pelos moradores do Espírito Santo, mas é facilmente encontrada em diversos restaurantes. A torta é feita em uma panela de barro, leva dez frutos do mar diferentes e, no topo, é decorada com rodelas de cebola e azeitonas. O prato é muito saboroso, mas, pela grande variedade de frutos do mar, é difícil diferenciar o gosto de tudo que faz parte do recheio.

Outro prato bem típico é a moqueca capixaba .  O passo a passo da preparação desse prato que leva alho, sal, colorau, tomate, cebola, coentro, camarão e um peixe, que pode ser badejo, cação, dourado ou cioba. Um detalhe importante, porém, é que a receita só pode ser feita em uma panela de barro.

A moqueca capixaba é um prato bem típico do Estado e é muito mais leve do que a popular moqueca baiana

A moqueca capixaba é um prato bem típico do Estado e é muito mais leve do que a popular moqueca baiana

Diferente da moqueca baiana, o prato não leva leite de coco e azeite de dendê, tornando-se mais leve e de sabor bem suave. O prato vem acompanhado de arroz e um pirão com banana, além de servir de duas a três pessoas tranquilamente.

fonte: turismo ig

Veja também no Portal AVôVó:

7 Melhores Praias de Pernambuco

AnteriorPróximo
O Avôvó é um portal colaborativo criado especialmente e inteiramente dedicado a um público cada vez mais conectado: a terceira idade. Aqui, não só o idoso se sente em casa. Nosso objetivo é também levar conteúdo relevante para familiares, amigos e profissionais que cuidam dessas gerações que chegam à melhor idade redefinindo conceitos e com cada vez mais interatividade e independência, mostrando que idade é só um número.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *