Nacional

Trem de luxo Curitiba – Morretes, imperdível

Trem de Luxo Curitiba Morretes

VôVó, descubra os encantos da maior área preservada de Mata Atlântica do Brasil!

Viaje pela história da ferrovia atravessando pontes e túneis, percorrendo os trilhos emoldurados por rios, cascatas e canyons!

Visite as cidades históricas de Morretes e Antonina, com suas construções antigas bem conservadas, com seus casarios coloniais, suas ruas estreitas e tranquilas que dão um charme a mais nas cidades, com lindas paisagens para o turista apreciar.

As cidades ainda contam com diversos restaurantes, tendo como principal característica, os sabores da típica culinária do Paraná, onde é possível saborear o verdadeiro barreado, e as famosas balas de banana que atraem turistas do mundo todo.

Trem de Luxo Curitiba Morretes

Entrar na litorina de luxo que parte de Curitiba, capital do Paraná, rumo à pequena Morretes, na região litorânea do Estado, é como voltar ao início do século.

Mobiliário rústico, sofás de veludo, afrescos e abajures transportam os passageiros a uma novela de época.

“Seja bem-vindo”, diz a comissária ao oferecer uma taça de champanhe a quem entra.

A viagem que percorre a ferrovia inaugurada em 2 de fevereiro de 1885 pelos irmãos Antônio e André Rebouças começa pontualmente às 9h15.

Estende-se por três horas e meia (ou mais, já que os trilhos são compartilhados com trens de carga), a míseros 20 km/h.

O deslocamento lento quase não é sentido. Absortos pela paisagem, os viajantes desvendam os mistérios de uma mata atlântica preservada.

A litorina passa pelo conjunto do Marumbi, na Serra do Mar, pela cascata Véu da Noiva e desponta no vão-livre da ponte São João, construída na Bélgica e inaugurada em 1884.

Trem de luxo Curitiba Morretes

Chega, por fim, à charmosa Morretes. Cortada pelo rio Nhundiaquara, a cidade de pouco mais de 15 mil habitantes, antigo território de carijós, foi fundada no início do século 18 pelo ouvidor português Raphael Pardinho.

No chão, paralelepípedos. Na praça, vendedores oferecem artesanato, compotas, geleias e cachaça.

Para saciar a fome, prove o famoso barreado. Estrela do local, o prato leva carne bovina cozida em panela de barro, por cerca de 12h, até quase desfazer.

Ele é acompanhado de banana e de farinha de mandioca —que, ao ser acrescida, lembra um pirão. Fica irresistível.

A jornalista viajou a convite da Serra Verde Express

É possível estender a viagem até Antonina, a 15 km de Morretes. Fundada em 1714, a cidade teve seu centro histórico tombado pelo Iphan em 2012 e realiza um dos Carnavais mais famosos do Paraná.

Veja também no Portal AVôVó:

Gramado, um encanto de cidade. Venha conhecê-la!

 

AnteriorPróximo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *