Dicas de Alimentação, Nutrição

Tipos de chocolate. Qual será o ideal?

Ao leite, branco, amargo… informações nutricionais de cada tipo de chocolate

Já parou para pensar nas diferenças entre os tipos de chocolate disponíveis no mercado?

Nós paramos – e traduzimos as letras miúdas das embalagens com o auxílio de experts

E você deve saber que o sabor do meio amargo é parecido com o do ao leite, mas não é a mesma coisa.

Será que tem diferença em valores nutricionais? Tem também o sem lactose, com whey protein, o que diabos é alfarroba mesmo?

Por falar nisso, tem espaço para um tantinho assim de chocolate na dieta?

Dúvidas cruéis prontamente respondidas pelas nutris Regina Moraes Teixeira (SP) e Nadia Almeida, do Hospital São Cristóvão (SP).

“O chocolate não só fornece energia ao organismo, como estimula a serotonina, hormônio responsável pela sensação de bem-estar.

Alguns tipos são ricos em polifenóis, excelentes antioxidantes que combatem o envelhecimento precoce.

Entretanto, não podemos nos esquecer que a moderação e a escolha são determinantes para que haja esse efeito”, diz Regina.

Mais detalhes, você lê a seguir:

Chocolate ao leite

chocolate idosos

É bem calórico e tem menor teor de cacau. Nadia Almeida alerta: “Chocolate ao leite possui de 15 a 30% de massa de cacau, manteiga de cacau, açúcar, além de leite em pó ou condensado, que são prejudiciais se consumidos em excesso”.

Quando combinado com nuts – nozes, avelãs e amêndoas, por exemplo –, o chocolate ao leite ganha ainda mais gordura saturada e açúcar, fazendo a glicemia disparar.

“Pode, inclusive, gerar oleosidade na pele”, completa Regina.

É, você leu certo: é possível que seu rosto denuncie com espinhas que você detonou um tablete de chocolate.

Chocolate branco

Imagine o chocolate branco como uma mistura de manteiga de cacau, açúcar e gordura.

Não dá para aliviar a má reputação entre os especialistas: são calorias vazias mesmo.

Chocolate meio amargo

chocolate idosos

Possui de 40 a 55% de cacau e menor quantidade de manteiga de cacau e açúcar se comparado ao tradicional.

Chocolate amargo

“Quanto mais cacau, melhor”, afirma Nadia. Com cerca de 60 a 85% de cacau na composição, menos açúcar e gorduras, é a melhor opção para aproveitar todos os benefícios do cacau.

A teobromina, uma substância com atuação semelhante à da cafeína favorece o sistema nervoso central e até os músculos cardíacos.

Chocolate diet

Contém massa e manteiga de cacau, leite em pó e soro do leite.

Existe a restrição de açúcar, mas não significa que é light, ou menos calórico.

Em seu preparo, há um acréscimo de gordura, muitas vezes, mais calórico que o tipo ao leite.

Apesar de ser uma aposta certeira de muitos diabéticos, é mandatório procurar a orientação de um médico e nutricionista para que o especialista defina as quantidades adequadas de consumo.

 chocolate idosos

Chocolate orgânico

O cacau e açúcar presentes neste tipo de chocolate são totalmente orgânicos, livres de conservantes.

Há a garantia de que o alimento foi cultivado, colhido, preparado e transportado em um sistema sem a contaminação de produtos químicos sintéticos, fumigados ou irradiados.

Alfarroba

chocolate idosos

 

Imagem relacionada

É utilizada para substituir o cacau na produção de chocolate.

Possui pouca gordura e diversos minerais como cálcio, potássio e fósforo, além de vitaminas do complexo B.

É ainda uma boa opção para pessoas com diabetes, pois não contém adição de açúcares.

Chocolate com whey protein

chocolate idosos

“É interessante para quem segue uma dieta visando o ganho de massa muscular”, comenda Regina Moraes Teixeira.

Além dos ingredientes tradicionais, como a massa e de cacau, o Whey Protein (proteína extraída do soro do leite) é adicionado aos ingredientes, podendo impactar as calorias finais.

Quer saber mais sobre a whey protein, clique aqui

Chocolates funcionais

chocolate idosos

Imagine ter a cada mordida nutrientes que ajudam desde a firmeza da pele, a tpm ou eliminar gordura?

Pois é essa a proposta do chocolates funcionais.

Ativos como colágeno, óleo de prímula, óleo de cártamo (conhecido por ser um aliado na aceleração do metabolismo) e outros nutracêuticos, são associados ao doce e unem seus benefícios ao cacau.

Mas, não é por serem “do bem” que podem ser consumidos desenfreadamente, ok? “Apesar de todos seus benefícios, os chocolates possuem muitas calorias.

É preciso comer com moderação sempre”, finaliza Regina.

fonte: tão feminino

Veja também no Portal AVôVó:

Café e chocolate: a dupla perfeita e bons para a memória.

AnteriorPróximo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *