Receitas Doces

Suspiro, quando o sabor e a paixão se encontram

Suspiro, quando o sabor e a paixão se encontram.

Suspiro, que delícia!

Como fazer em casa esse doce afetivo e delicado

Suspiros feitos em casa.

Deliciosos e fáceis de fazer.

A louça é da @1832amo_ceramica.| Foto: Leticia Akemi/ Gazeta do Povo

Dizem que se chama suspiro porque é impossível não suspirar de prazer após a primeira mordida.

E, realmente, para muitos esse doce de clara de ovos e açúcar é isso mesmo, um deleite só a cada mordida.

Também conhecido como merengue, consta ter origem na Suíça ou norte da Itália, na segunda metade do século XIX.

Mas há até quem diga ter surgido primeiro no Peru, algumas décadas antes, como Manjar Real del Peru, e com direito a registro no Novo Dicionário Americano de Culinária, de 1868.

Tem quem vá mais longe e localize o merengue surgindo na Galícia (Espanha), no século XVII, mas feito por um confeiteiro italiano, chamado Gasparini.

Com o passar do tempo, no início do século XIX os confeiteiros começaram a moldar o merengue – antes esparramado em uma unidade só – com uma colher, antes de ir ao forno, o que deu ao doce o formato no qual ele é conhecido hoje.

Sou fã de suspiros e faço sempre que possível, pois volta a meia sobram claras, já que muitas receitas exigem somente gemas.

E como a execução é questão de minutos, quase sempre tenho o doce em estoque caseiro.

Até aprecio chocolate de vez em quando, mas sou chegado mesmo em doces de ovos, gemas ou claras.

E como sei que tem muita gente assim, pensei, então, em publicar aqui a simples e fácil receita de suspiro.

Suspiro, quando o sabor e a paixão se encontram

A louça é da @1832amo_ceramica.| Foto: Leticia Akemi/ Gazeta do Povo

Vamos a ela?

A conta básica é sempre 5 colheres (sopa) de açúcar para cada clara, mas isso para um suspiro bem doce.

Dá para diminuir a proporção para até 3 por 1, conforme o gosto de cada um.

Dá para ir experimentando a cada fornada, até encontrar o que melhor agrada ao paladar.

Use sempre as claras em temperatura ambiente.

Elas se desenvolvem mais quando batidas.

Claras podem ser congeladas.

Basta colocar em forminhas de gelo e, depois de congeladas, passar para embalagens plásticas, marcando a data.

Elas podem ficar até por três meses e depois, descongelando naturalmente na geladeira, serem usadas normalmente.

Se preferir moldar os suspiros com sacos de confeitar e tiver habilidade para isso, tudo bem.

Costumo fazer suspiros à noite, pois daí deixo esfriando normalmente no forno só vou vê-los na manhã seguinte, sem a tentação de abrir o forno enquanto ainda não estiverem completamente frios.

Pode usar raspas de limão taiti, o mais comum entre nós.

Mas fica bem mais saboroso com raspas de siciliano ou cravo (aquele caipira, avermelhado).

Também pode não usar as raspas, se não desejar.

Os fornos convencionais, a gás, não têm termostato e não registram temperaturas de 100ºC. O

mínimo convencional é 180ºC.

Para conseguir abaixar a temperatura um macete é deixar a porta do forno entreaberta, com uma colher de pau permitindo um vão para o ar mais frio externo poder entrar.

Tempo de preparo:

30 minutos + tempo de forno e de resfriamento

Rendimento:

+- 18 suspiros médios

Preparo:

Fácil

Ingredientes:

3 claras de ovo em temperatura ambiente;
15 colheres (sopa) de açúcar;
Raspas da casca de ½ limão.

Preparo:

–  Aqueça o forno a 100ºC.

–  Bata as claras em ponto de neve (a mão ou na batedeira) até formarem picos mais firmes.

–  Uns 5 minutos de batedeira, na velocidade mais alta.

–  Cheque, retirando a tigela da batedeira e virando de cabeça para baixo.

–  Se a clara se mantiver firme é porque está no ponto.

–  Volte a tigela para a batedeira, ligue novamente em velocidade alta e vá pondo as colheres de açúcar, uma a uma, espaçadamente, para o açúcar misturar bem.

–  Conclua com as raspas de limão, incorporando ainda enquanto bate as claras.

–  Forre uma assadeira com silpat ou papel-manteiga, faças os suspiros com duas colheres de sopa, puxando de uma para a outra e deslizando para a forma e deixando um espaço entre eles, para permitir que cresçam um pouco, sem grudarem.

–  Leve ao forno por 1 hora, para deixá-los branquinhos e levemente moles por dentro.

–  Se quiser um pouco mais corados e sequinhos também por dentro, deixe mais uns 10 ou 15 minutos.

–  Mas não muito mais, para não queimarem.

–  Não abra o forno em momento algum durante o tempo em que estiverem assando.

–  Desligue o forno e deixe os suspiros esfriando na assadeira, até que esfriem totalmente, para quem não fiquem grudentos com o passar do tempo.

–  Quando estiverem completamente frios, retire-os da assadeira e guarde-os em um pote ou tupperware fechados, para não amolecerem.

fonte: a gazeta do povo

Veja também no Portal AVôVó:

pudim de pão

Pudim de pão diferente com carinho e amor de Vó.

AnteriorPróximo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *