Utilidades

Remédios, como guardar e organizar com segurança

caixa de remédios idosos

Normalmente, os idosos precisam tomar vários remédios para controlar diferentes doenças crônicas como pressão alta, colesterol ou diabetes.

No entanto, com o passar dos anos, é comum o surgimento de perda de memória e da visão, assim como dificuldades para engolir o comprimido.

300x250_25_desconto_cupom

Devido a estes problemas, é comum que aconteçam casos de superdosagem ou esquecimento de tomar o medicamento, o que faz com que muitos idosos não consigam manter o tratamento indicado pelo médico, acabando por agravar os sintomas e piorar seu estado de saúde.

Para evitar que isso aconteça, existem algumas técnicas simples que podem ajudar os idosos a manter o tratamento médico adequado.

Elas incluem:

1. Usar uma caixa para organizar os comprimidos

Uma vez que os idosos tomam diferentes comprimidos a diferentes horários do dia, o uso de uma caixa com divisões por momentos do dia, como café da manhã, almoço, jantar e dormir, é uma opção para organizar os comprimidos de forma correta.

Estas caixas são fáceis de transportar e a sua organização ajuda o idoso a saber quais os medicamentos a tomar naquele momento do dia, sem que haja troca de comprimidos ou esquecimento.

Estas caixas devem ser organizadas na noite do dia anterior de forma a ter todos os comprimidos organizados para o dia.

Existem também caixas com divisões por dias da semana que devem ser organizadas no início de cada semana com os comprimidos para cada dia.

guarda de remédios e segurança

2. Triturar os comprimidos

Nos casos em que há dificuldade em engolir os medicamentos, uma alternativa é triturar os comprimidos e misturar o pó em água para que seja fácil de tomar.

No entanto, antes de se fazer este processo, deve-se ler a bula do medicamento para saber se isto pode ser feito.

3. Verificar a presença de efeitos adversos

Quando se toma vários medicamentos, é importante estar atento a possíveis interações e aparecimento de efeitos secundários indesejados.

Isto pode levar a que haja resistência a tomar os medicamentos por medo de sentir reações adversas, sendo aconselhado pedir ao médico para modificar a medicação para que não se perca o tratamento.

4. Ter os medicamentos num local visível

É importante ter os comprimidos num local visível e de fácil acesso para que o idoso se lembre de tomar o medicamento, estando escrito na caixa a que horas se deve tomar e qual a dosagem.

Não se devem tirar os comprimidos das caixas, uma vez que isto facilita a identificação da medicação e evita trocas.

5. Pedir informações sobre medicação

Na consulta com o médico ou enfermeiro e no momento de comprar a medicação, é importante pedir aos profissionais qualificados para explicar calmamente e com clareza as dosagens e como tomar, numa linguagem acessível e simples.

Pode-se pedir também para escrever nas caixas dos medicamentos ou imprimir uma folha com as explicações necessárias para que não haja erros e possa ser consultada facilmente.

Outras dicas importantes na organização e verificação:

guarda de remédios e segurança

Todo cuidado é pouco na hora de escolher o local e a forma de guardar seus remédios.
Ambientes úmidos ou de alta temperatura podem alterar o efeito do medicamento e colocar sua saúde em risco

Se você só lembra dos seus antibióticos, anti-inflamatórios e analgésicos quando surge uma dor ou febre, as chances dos seus remédios estarem vencidos ou com a qualidade danificada são enormes.

Para garantir que eles cumpram bem suas funções, é fundamental tomar um cuidado todo especial na hora de guarda-los e organiza-los.

Primeiro passo:

Cheque o prazo de validade

Não dá para bobear quando o assunto é saúde!

Por isso, jamais negligencie as datas de validade marcadas nas embalagens dos seus remédios.

Separe aqueles que ainda estão bons para consumo e, na hora de organizá-los, procure colocar os que estão mais próximos da data de vencimento, em destaque.

Assim você não desperdiça nenhum medicamento.

Em seguida, separe por categorias

Para não se confundir e correr o risco de ingerir um medicamento errado, organize seus remédios por categorias: antibióticos, analgésicos, anti-inflamatórios e antitérmicos.

Assim fica mais fácil encontrar o que você precisa, sem ter a necessidade de checar todas as bulas.

Uma boa saída também é anotar na embalagem para que serve o medicamento, de quantas em quantas horas deve ser tomado e quanto tempo deve levar o tratamento.

Cuidado com a temperatura

Temperaturas muito altas podem ter um efeito enorme, tanto em remédios prescritos, quanto em medicamentos de balcão.

De acordo com Skye McKennon, professora assistente de clínica na Escola de Farmácia da Universidade de Washington, fabricantes farmacêuticos recomendam que a maioria de seus produtos sejam armazenados a uma temperatura de 15 a 30 graus Celsius.

Sendo assim, nada de guardar seus medicamentos dentro da bolsa, em cima da geladeira ou do micro-ondas.

Somente os remédios que devem ser mantidos em geladeira, como a insulina e seus derivados, tem permissão para fugirem dessa regra.

Medicamentos para tireoide, contraceptivos e outros que contenham hormônios são particularmente suscetíveis a mudanças de temperatura e exigem atenção.

Se alteradas, as proteínas existentes nesses remédios mudam suas propriedades, perdendo assim a eficácia.

Onde guardar

Muita gente tem o costume de guardar remédios em armários e gavetas do banheiro, mas engana-se quem pensa que esse é o melhor lugar.

A umidade do ambiente não pode ser superior a 70%, portanto, o banheiro não é o lugar certo para eles.

Sabia que as fitas para testes diagnósticos, como as usadas para medir os níveis de açúcar no sangue, gravidez ou ovulação por exemplo, são tão sensíveis à umidade que se grudarem nas tarjetas, elas diluem o líquido de teste e podem gerar leituras e resultados falsos?

Por isso, procure guardar seus remédios dentro de uma caixa, em um ambiente seco, arejado e de pouca luz e deixe nos banheiros somente materiais para curativo.

Coloque a caixa de medicamentos em prateleiras altas ou em cima de armários do quarto ou corredor.

Além da umidade nessas áreas ser menor, você ainda evita que crianças e animais tenham contato com os medicamentos.

Se possível, tranque a caixa de remédios a chave.

Tirar ou não tirar o remédio da caixinha?

guarda de remédios e segurança

O mais indicado pelos farmacêuticos é que os remédios sejam mantidos em suas embalagens originais, já que, ao retirar as cápsulas da cartela, você expõe o medicamento a contaminações e as deixa mais suscetíveis às mudanças de temperatura.

Idosos ou pacientes com doenças sérias são exceção!

Para eles, recomenda-se o uso de caixinhas de pílulas diárias, que ajudam a garantir a precisão das doses.

Mas lembre-se: essas caixinhas também precisam ser guardadas em locais secos e frescos.

Se o medicamento for insulina, atenção: ela pode degradar-se facilmente se for resfriada ou esquentada em excesso.

O ideal é guardá-la sempre na geladeira e, quando aberta, ser mantida à temperatura ambiente, o que também torna mais confortáveis as injeções.

E se você for viajar…

A temperatura do carro pode transformá-lo em um verdadeiro forno quando parado sob o sol no estacionamento ou garagem.

Por isso, se você precisa de medicamentos enquanto viaja, atenção às dicas:

  • Mantenha os medicamentos em uma bolsa ou mala separada.
  • Leve os remédios com você sempre deixar o carro, assim você não corre o risco de expô-los a temperaturas excessivas.
  • Se você precisar guardar medicamentos emergenciais no carro, como um aplicador de adrenalina ou dose de insulina, peça ao seu farmacêutico um recipiente de resfriamento que irá manter o remédio na temperatura adequada.
  • Se viajar de avião, carregue seus medicamentos com você.
  • Os compartimentos de bagagem não têm controle de temperatura e podem danificar a medicação se estiverem quentes ou frios demais.

guarda de remédios e segurança

Quando danificados

Nunca tome nenhuma medicação que tenha se modificado em cor ou consistência, mesmo se ela ainda estiver dentro do prazo de validade.

O melhor é sempre verificar cheiros estranhos e descartar pílulas que estejam grudentas, lascadas, mais moles ou duras que o normal.

Quando consumimos remédios danificados, podemos causar danos principalmente ao estômago ou aos rins.

E nada de jogar os remédios não utilizados pela descarga.

O melhor é misturar pílulas ou líquidos a borra de café ou qualquer outro material que os torne intragáveis e, em seguida, misture-os no lixo.

Assim, você impede que eles encontrem caminho até o abastecimento de água.

Verifique também se a sua cidade possui programas de coleta de remédios.

Aí, é só levar os medicamentos que você não usa mais aos centros de coleta comunitários para que eles sejam jogados fora de maneira mais correta e ecológica.

Veja também no Portal AVôVó:

Organizando melhor a rotina de medicamentos

 

AnteriorPróximo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *