Estética & Beleza

Pelos no nariz, preserve-os, são importantes!

pelos no nariz na terceira idade

De acordo com o otologista Dr. Erich Voigt, da Universidade de Nova York, é muito importante ter conhecimento do “triângulo perigoso da face” antes de aparar os pelos do nariz.

Segundo ele, um pequeno erro pode ser fatal para a saúde.

Junto com as rugas e a queda de cabelos, o envelhecimento também causa um maior crescimento nos pelos do nariz.

Logo, se você tem a intenção de não os deixar transparecer, em um vídeo publicado pelo Bussiness Insider, o especialista advertiu sobre alguns cuidados que se deve ter.

Ele explica que aparar esses pelos de forma muito curta pode levar a alguns efeitos colaterais bastante assustadores.

pelos no nariz na terceira idade

Devido aos canais de fornecimento de sangue, a partir dos cantos da boca até a ponte do nariz, arrancar esses pelos pode facilitar a entrada de intrusos indesejados nas cavidades nasais, seios da face e até mesmo cérebro.

O nariz, segundo Dr. Voigt, filtra o ar que respiramos por meio de pelos microscópicos chamados cílios, que movem o muco da frente para trás e eventualmente os envia para o estômago, onde são destruídos pelos ácidos.

Logo, ao arrancá-los, poderemos causar problemas, isso porque os germes vivem na base dos folículos pilosos.

Assim, quando você arranca os pelos, os microrganismos que vivem ali podem entrar no corpo e causar infecções.

Resultado de imagem para pelos do nariz

Essas infecções podem ser letais, pois as veias que drenam o sangue a partir do nariz, são as mesmas que drenam o cérebro. Isso pode vir a causar uma meningite ou abscesso cerebral.

Contudo, ele explica que se você não quer deixar que os pelos nasais apareçam, o ideal é ter cuidado para não os cortar muito perto do folículo, deixando um “pedaço considerável” para que os pelos ainda exerçam o papel de filtro.

Neste caso, a pior situação, seria se você arrancasse os pelos completamente com uma pinça, por exemplo.

fonte: jornal ciência

Veja também no Portal AVôVó:

Por que o meu corpo “estala”? Pescoço, joelhos, pés, mãos…

 

AnteriorPróximo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *