Lazer & Entretenimento

Ouvir música traz qualidade de vida ao idoso

A música faz bem aos idosos

A música pode ser uma ferramenta incrível para a motivação pessoal, mas também para um grupo.

Quantas vezes em nossas vidas passamos por situações que nos deixaram pra baixo, desanimados e, quando ouvimos uma determinada música, o nosso astral transformou como que da água para o vinho.

Quantas vezes ela é usada para motivar funcionários de uma empresa, uma equipe de esporte, etc…

É claro que não são todas que tem este “poder”, na verdade depende muito da situação e do estado emocional que a pessoa ou grupo esteja passando.

Não é absurdo dizer que ela pode ser um grande estimulante para diversos momentos da vida. Por exemplo: quando um atleta está se preparando para enfrentar um desafio, a música pode ter uma influência positiva em seus pensamentos, fazendo com que sua mente absorva isso e lhe dê motivação para realizar sua tarefa.

Não estou querendo dizer que é a motivação através dela que vai fazer com que uma pessoa ou grupo conquiste o seu objetivo, mas pode  ser uma excelente arma colaborativa.

Ouvir músicas faz bem aos idosos

Os efeitos da música

Um dos efeitos positivos, vem de sua capacidade de envolver o sistema nervoso do corpo. A ativação desse sistema prepara o corpo para a ação sempre que estamos diante de um desafio em nosso ambiente.

A música é composta por vários padrões provenientes do som, que afetam os níveis de excitabilidade física. Um simples aumento no ritmo da música que ouvimos, por exemplo, pode acelerar o nosso pulso e acelerar a nossa respiração.

E isso pode ser de grande valia para o exercício físico ou alguma atividade que tenhamos desmotivação em executá-la.

A coordenação e execução de movimentos musculares repetitivos podem ser mais eficientes quando se é combinado com os movimentos de uma batida musical.

Isto explica porque os indivíduos que estão em uma disputa de corrida correm mais rápido, pois usam menos oxigênio do que aqueles que apenas correm sem esta finalidade.

A música para relaxar

A Música faz bem aos idosos

É impressionante como a sociedade atual tem vivido uma loucura incomum. A correria do dia a dia tem proporcionado um estresse em várias pessoas.

Seja na vida profissional ou pessoal, as nossas vidas tem se tornado uma grande peleja. E o resultado disso tudo é: mentes e corpos cansados e fadigados.

Estudos tem sido realizados com frequência em relação aos benefícios da mesma na saúde, e os resultados tem sido surpreendentes. A música afeta diretamente o corpo e a mente de quem a ouve, podendo até ser usada como relaxamento eficaz e uma poderosa ferramenta de gestão do estresse.

Alguns resultados

As pesquisas relatam que ela pode proporcionar um relaxamento nos músculos tensos, permitindo às pessoas a libertação de alguma tensão proveniente de um dia ou de uma semana estressante.

Quando ouvida em um ambiente de atividade física, onde o objetivo é o relaxamento físico e mental, ajuda a dissolver o estresse, contribuindo para que a pessoa se sinta energizada e aliviada. Há muita eficácia neste método que é desenvolvido a séculos na cultura oriental.

A música tem o poder de se tornar um bálsamo para o ser humano, podendo ser uma ferramenta acessível e eficaz para este propósito, conseguindo atingir resultados bastante evolutivos, podendo ajudar satisfatoriamente o cérebro, que muitas vezes é sobrecarregado de muita tensão e estresse.

A pessoa que tem bom gosto musical e sabe usufruir deste benefício corretamente, tem a possibilidade de ser uma pessoa mais positiva, otimista e alegre, pois sua mente está mais aberta e propensa às emoções e sensações positivas.

A forma que uma pessoa enxerga o mundo e dialoga consigo mesma, pode ter um efeito profundo sobre o nível de estresse que ela absorve.

A música na terceira idade

A Música faz bem aos idosos

Como podemos melhorar a qualidade de vida na terceira idade?  

Ela é importante e salutar para o bem-estar na terceira idade. Além disso, ela tem sido utilizada não só para curar doenças graves, mas também para prevenir  doenças e aumentar a longevidade.

Há indícios de que a música desenvolve habilidades cognitivas e físicas básicas na terceira idade.  Se a música realmente tem o poder de aumentar a qualidade de vida na terceira idade, estes resultados devem ser aplicados no cuidado de idosos na saúde.

Também é uma grande ferramenta  para uma boa qualidade de vida na terceira idade. Baseado em várias fontes de pesquisa das áreas da psicologia da música, neuropsicologia, psicobiologia, medicina, gerontologia. Por todas estas disciplinas de qualidade de vida na terceira idade,  é possível constatar esta importância.

Aulas de música podem ajudar a manter o cérebro saudável,  por isso a atividade musical ao longo da vida pode servir como um exercício cognitivo desafiador, fazendo com que o cérebro esteja mais apto e mais capaz de acomodar os desafios do envelhecimento.

A música tem um forte significado para as pessoas idosas.  Mas o que torna a música tão importante para as pessoas com mais de 65 anos de idade e quais são os benefícios para o bem-estar?

É evidente que nem todo idoso tem a devida paciência em ouvir música,  muito menos praticá-la, mas é constatado através de pesquisas realizadas que,  aqueles que se envolvem no contexto musical, seja aprendendo um instrumento, ou até mesmo ouvindo boas músicas, conseguem obter resultados mais positivos do que negativos. Por isso a música tem um papel fundamental nesta faixa etária, pois proporciona sim, bem-estar e qualidade de vida mais saudável.

Existem hoje algumas  metodologias musicais direcionadas exclusivamente a este público que dão devida ênfase ao desenvolvimento cognitivo musical do idoso, onde é trabalhado diversas atividades que estimulam todo o processo. Temos a  Musicoterapia para idosos, a Musicalização para  idosos, Corais da Terceira idade, dentre outros.

Música e medicina

A Música é um instrumento de benefício diversificado, atendendo a áreas que provavelmente nem imaginamos. A medicina desde muito tempo tem utilizado a música como ferramenta terapêutica.

Pesquisas realizadas sobre a música na medicina em hospitais, relatam que pacientes que ouvem música, por meio de fones de ouvido, enquanto são colocados para dormir, e durante a cirurgia, precisam até 50% a menos de anestesia durante a cirurgia!  Esta é uma consciência maravilhosa, porque uma das primeiras coisas que as pessoas devem se recuperar a partir de uma cirurgia é a anestesia.

Pacientes submetidos a cirurgias na coluna, de ponte de safena, histerectomias completos, e numerosos pequenos procedimentos ambulatoriais tem se beneficiado desta técnica. Apesar de existir pouca literatura sobre esta funcionalidade, existem vários casos comprovados nos EUA sobre esta questão.

Ouvir música cuidadosamente selecionadas, por meio de fones de ouvido, antes, durante e após os resultados do procedimento cirúrgico gera menos no procedimento, menos anestesia durante o procedimento, e menos medicação para a dor depois!

É de grande valia que hospitais, médicos e pacientes possam experimentar! pois resultados negativos não irão acontecer. O único pré-requisito é que seja feito com antecedência, para que se possa escolher com cuidado a seleção, pois envolve o gosto do paciente, o sentimento que a música traz para o paciente, etc…

 

Não perca nenhum conteúdo do Portal Avôvó! Informe seus dados e receba atualizações por e-mail.



 

Não há nem um tipo de problema o cirurgião ouvir música, na verdade só lhe fará bem. O cirurgião  precisará manter seu nível de energia e a maioria das pessoas aceitam que a música mantém a energia fluindo e o bombeamento de sangue. Muitas vezes a música que o cirurgião precisa é exatamente o oposto das necessidades do paciente,  mas não há nenhum problema quando ambos compartilham da mesma música. O cirurgião pode ouvir a sua música através de um aparelho de som,  já o paciente definitivamente precisa ter fones de ouvido.

Estudos têm mostrado que o uso dela num procedimento cirúrgico deve ser de preferência instrumental, alguns utilizam a gregoriana, que é cantada, mas em latim, e sua sonoridade é bastante leve. O gênero não importa muito, embora os movimentos lentos de suítes barrocas parecem ser particularmente bem adaptado. Para se escolher uma  música, é preciso observar sua simplicidade e textura, o volume tem que estar bem baixo.

Algumas pessoas gostam de ouvir eruditas, outros gostam de ouvir versões instrumentais, o que mais importa é agradabilidade que a música irá proporcionar.

VôVó, oferecemos essa belíssima música para você ouvir. É de arrepiar essa canção: “Caruso” de Lucio Dalla, com a interpretação de Lara Fabian.


fonte: música plena

Veja também no Portal AVôVó:

Música para o idoso ouvir e relaxar – Italianas

 

AnteriorPróximo
O Avôvó é um portal colaborativo criado especialmente e inteiramente dedicado a um público cada vez mais conectado: a terceira idade. Aqui, não só o idoso se sente em casa. Nosso objetivo é também levar conteúdo relevante para familiares, amigos e profissionais que cuidam dessas gerações que chegam à melhor idade redefinindo conceitos e com cada vez mais interatividade e independência, mostrando que idade é só um número.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *