Sem categoria

Óleo de peixe faz bem para a terceira idade

Alimento foto criado por shurkin_son - br.freepik.com

Óleo de peixe faz bem para a terceira idade.

O óleo de peixe é classificado como uma gordura boa e seu consumo regular é altamente recomendado em todas as idades, porém, muitas pessoas ainda desconhecem o papel fundamental que ele desempenha para o bom funcionamento do metabolismo humano.

Encontrado em abundancia nas carnes de peixes de águas profundas e frias, o óleo é rico em Ômega 3, um ácido graxo poli-insaturado, que é o maior responsável por seus benefícios.

Este Ômega é considerado uma gordura essencial, pois o organismo não é capaz de produzi-lo, portanto, seu aporte deve ser fornecido através da alimentação, já que é extremamente importante para a manutenção de algumas funções do organismo.

Óleo de peixe faz bem para a terceira idade

Alimento foto criado por whatwolf - br.freepik.com

Ômega 3

O Ômega 3 é um poderoso aliado da saúde de crianças, adultos e idosos.

Uma das responsabilidades do ácido graxo é formar uma camada lipídica em torno das células, assim, quando as membranas celulares são totalmente cobertas, as células conseguem desempenhar suas funções de forma mais efetiva.

Além disso, eles atuam no recobrimento da retina ocular – parte dos olhos cuja função principal é transformar o estímulo luminoso recebido em estímulo elétrico para que o cérebro possa realizar o processo de enxergar.

O Ômega 3 também age na formação de um componente dos neurônios, a bainha de mielina, e é responsável pela manutenção do sistema nervoso central.

A principal substância em sua composição é o ácido alfa linolênico que resulta na produção dos ácidos EPA (ácido eicosapentaenoico) e DHA (ácido docosahexaenoico) no organismo, que atuam em prol da diminuição de triglicérides – um tipo de gordura que, em níveis elevados, prejudica a saúde do corpo – e o aumento do colesterol bom (HDL).

Principais benefícios para a saúde

Estudos mostram que os ácidos presentes no Ômega 3 não possuem apenas efeitos preventivos, mas também têm a capacidade de auxiliar no tratamento e reduzir os sintomas de doenças e alterações metabólicas em nosso organismo.

O consumo regular do ácido graxo melhora o sistema circulatório e previne doenças cardiovasculares, pois o Ômega 3 impede a formação e acúmulo de plaquetas nos vasos sanguíneos que podem levar a um derrame ou infarto.

Sua ação anti-inflamatória também é capaz de aliviar os sintomas da artrite reumatoide bloqueando as enzimas que produzem a inflamação.

O nutriente ainda combate a Obesidade e regula a pressão arterial, reduzindo às inflamações dos vasos sanguíneos causadas pela patologia e evitando a formação das placas de gordura na parede das artérias, o que garante a flexibilidade das veias e afasta o risco de doenças como hipertensão.

Os ácidos graxos ainda possuem propriedades antioxidantes que protegem as células saudáveis de danos no DNA neutralizando os radicais livres.

A atuação do Ômega 3 também é relacionada com a formação de parte do tecido cerebral, estudos indicam que o nutriente tem características capazes de otimizar as funções cognitivas e de memória, além de ter um potencial preventivo contra doenças degenerativas como o Alzheimer.

Onde encontrar

Algumas oleaginosas e sementes, como chia e linhaça, também apresentam certa quantidade de Ômega 3, mas sua principal fonte é o óleo de peixe, no entanto não são todos os peixes que contém o nutriente, somente aqueles que vivem em águas profundas e frias, pois a alimentação típica desses animais em seu habitat favorece a produção e concentração do Ômega em suas carnes.

É importante frisar que para o melhor aproveitamento do nutriente o peixe não seve ser preparado em altas temperaturas nem frito e sua pele deve ser conservada.

Infelizmente no Brasil essa oferta ainda é pequena, pois, além das águas serem mais quentes e rasas, boa parte dos peixes consumidos aqui que oferecem esse aporte, como o atum e o salmão por exemplo, é produzida em cativeiro.

Portanto, ao contrário do que se pensa, o consumo desses peixes pode não ser suficiente para fornecer ao corpo as quantidades necessárias do nutriente.

É preciso suplementar?

A suplementação, por muitas vezes, pode ser uma forma mais interessante de obter os benefícios do ácido graxo, especialmente para pessoas que moram em regiões com condições climáticas semelhantes às do Brasil, que não favorecem a concentração do nutriente nas carnes dos peixes.

Uma alimentação deficiente pode prejudicar o metabolismo do corpo, causar fadiga excessiva e, até mesmo, dificuldade de concentração, por isso, o consumo do óleo de peixe é uma boa alternativa para os brasileiros.

Ele pode ser encaixado facilmente na rotina alimentar, pois geralmente é sintetizado em cápsulas, uma das formas mais comuns de ser consumido graças a praticidade.

Pesquisas ainda demonstram que a suplementação pode ser um método auxiliar no tratamento de idosos contra diversas patologias, como depressão, ansiedade, déficits cognitivos, insônia e perda de memória.

A suplementação costuma ser indicada também para gestantes, pois o Ômega 3 atua diretamente no desenvolvimento mental, da retina e do sistema imunitário dos bebês.

Em todos os casos, é fundamental procurar o auxílio de um médico ou nutricionista antes de realizar alguma mudança na alimentação, ou suplementação.

Fonte: Nutri

Veja também no Portal AVôVó:

cartilagem de tubarão para que serve?

Cartilagem de Tubarão – Serve para que e funciona mesmo?

AnteriorPróximo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *