Lazer & Entretenimento

O glamour do Bolero, uma dança apaixonante.

dançar boleros

O glamour do Bolero, uma dança apaixonante.

O bolero deve ser uma dança fácil ou não, sensual ou não, ágil ou não.

Isso mesmo, deve ser como você quiser.

A origem é cubana e alcançou o povo latino como um todo.

O Avôvó gostou do tema dança e vai continuar divulgando outras opções de estilo.

Selecionamos uma das mais famosas danças de salão, o bolero é certamente um dos mais populares entre seus praticantes, tanto iniciantes como experientes.

Com movimentos que variam de ágeis e sensuais a calmos e românticos, essa dança é uma escolha perfeita para ampliar suas habilidades e inspirar dias melhores.

Se você quer aprender mais sobre dança de salão e bolero, continue lendo, aprenda mais e ganhe vários motivos para dançar esse incrível ritmo!

dançar boleros

História do bolero 

É um ritmo cubano que mescla raízes espanholas com influências locais de vários países hispano-americanos.

Apesar de nascer em Cuba, tornou-se também bastante conhecido como canção romântica mexicana.

O ritmo foi se modificando, tornando-se mais lento e desenvolvendo especialmente temas mais românticos.

Têm tradição no bolero os seguintes países: Cuba, Porto Rico, República Dominicana, Colômbia, México, Peru, Venezuela, Uruguai, Argentina e Brasil.

O primeiro bolero surgiu na data de 1883, na voz do cubano José Sanchéz.

Posteriormente o estilo também fez muito sucesso no México e depois por toda a América Latina. Sabe-se que o bolero influenciou o samba-canção, mambo (bolero-mambo), o chá-chá-chá e a salsa.

Na República Dominicana, surgiu, na década de 1960, uma variante do bolero chamada bachata.

O mais célebre bolero mexicano é Bésame mucho, composto por Consuelo Velásquez (1941), e interpretado, entre outros, por: The Beatles, Plácido Domingo, Diana Krall, João Gilberto, Simone, Cesária Évora, Rosa Passos, Frank Sinatra.

Em francês (adaptado por Francis Blanche em 1945): Dalida, Céline Dion, Arielle Dombasle, Michel Petrucciani, Marc Lavoine, Guy Marchand e Lili Boniche.

Em 20 de julho de 2012, foi feito pela primeira vez em Portugal um concerto que juntou o bolero da Colômbia e o Fado no mesmo palco, no Teatro São Luiz.

Esse evento foi organizado pela embaixada da Colômbia em Portugal, que marcou a comemoração do dia nacional da Colômbia e contou com a fadista portuguesa Raquel Tavares e a bolerista colombiana Lucía Pulido.

Não há consenso sobre as origens históricas do ritmo: enquanto alguns estudiosos defendem que ele foi trazido pelos árabes que ocupavam a Península Ibérica, outros afirmam que o bolero vem de danças originadas na Inglaterra e na França, que se misturaram a ritmos nativos da América e da África.

No entanto, é certo que a vertente musical encontrou sua casa nos países latinos, em especial Cuba e México, de onde vieram os primeiros representantes do gênero, como o cubano Pepe Sánchez, cantor do sucesso “Tristezas”, de 1885.

dançar boleros

Evolução do ritmo e adaptação brasileira

Se antes o ele apresentava temáticas mais voltadas para a melancolia, com passos de dança lentos e acompanhados de castanholas e violões, com o passar do tempo mudanças foram surgindo, como a adoção de temas mais românticos e ritmos mais acelerados, influenciando o mambo e a salsa, por exemplo.

A forma de dançar também mudou: o casal que antes dançava afastado, apenas com movimentos de aproximação e distanciamento sutis, deu lugar à sensualidade e à proximidade na dança, o que foi uma provável influência de ritmos como a rumba.

No Brasil, o bolero passou por enormes adaptações e influências dos gêneros nacionais, como o samba de gafieira, e estrangeiros, como o tango, que trouxeram passos de dança mais complexos, como passos cruzados, caminhadas e giros, em contraste com a prática tradicional, também conhecida como o “dois pra lá, dois pra cá”.

dançar boleros

Curiosidades do bolero

Ritmo latino por excelência, ele é visto como a dança mais nobre entre as variedades de salão e é orgulho nacional de Cuba, país que exportou inúmeros sucessos e artistas do gênero.

Uma das origens prováveis de seu nome é a palavra “volero”, ou “voar”, uma referência ao movimento das saias das dançarinas.

O Brasil, com seu bolero mais trabalhado e sensual, também produziu ícones do ritmo, como Lindomar Castilho, autor do sucesso “Você é doida demais”.

-Alguns exemplos:

  • Bolero de Satã – Elis Regina e Cauby Peixoto
  • Anos Dourados – Chico Buarque e Tom Jobim
  • Dois pra lá, dois pra cá – Elis Regina
  • Meu bem, meu mal – Gal Costa
  • Sob medida – Fafá de Belém
  • Resposta ao tempo – Nana Caymmi
  • Neste mesmo lugar – Elizeth Cardoso
  • Folhetim – Gal Costa
  • Amendoim Torradinho – Ney Matogrosso

Por que dançar ?

Independentemente da variação, seja a mais romântica ou a mais sensual, ele é uma dança energética, clássica e muito requisitada, que levanta o moral e inspira os melhores sentimentos humanos.

Além disso, uma sessão longa de dança de salão e bolero pode queimar muitas calorias, fazendo dele um excelente exercício para corpo e alma.

Assista agora 3 videos-aulas de Bolero para você aprender a dançar:

 

 

Veja também no Portal AVôVó:

Forró é bom demais. Aprenda a dançar

AnteriorPróximo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *