NETOS

Oriente seu neto(a) quando da abordagem de estranhos

O cuidado deve ser redobrado em relação a estranhos

A criança precisa saber que a responsabilidade pela casa é dos adultos. Assim, abrir a porta de entrada nunca deve ser uma tarefa do pequeno, que sempre deve chamar o adulto responsável caso escute a campainha. Os pais devem fazer sua parte, nunca saindo sem avisar nem deixando uma criança pequena sozinha. Portas devem permanecer sempre trancadas e as chaves devem estar sempre com um adulto.

Mas para que os pequenos realmente entendam a importância de ter cuidado com estranhos, é essencial esclarecer os motivos. Mostre a eles que, apesar de ser importante tratar todo mundo com cortesia e educação, há pessoas ruins, com intenções nada nobres, que podem querer levá-los para longe de casa ou mesmo machucá-los de alguma forma. Mostre que, como não dá para conhecer as intenções de alguém pela aparência, os pais devem estar sempre cientes de tudo o que acontece. Só assim conseguirão protegê-los caso uma pessoa má apareça.

É importante ensinar o mais cedo possível as crianças a serem responsáveis pela sua própria segurança. Estabeleça estratégias junto com ela para que esteja ciente dos perigos que existem na vida e das melhores formas de evitar os riscos.

A questão de pedofilia é algo que deve ser abordado. Alguns especialistas consideram que aos cinco anos já é possível orientar a criança sobre a abordagem sexual imprópria por parte de adultos ou colegas muito mais velhos. Esclareça que não é legal um adulto tocar em algumas partes do seu corpo. Faça isso de forma muito suave, visando não gerar traumas desnecessários e facilitar a comunicação com os pais ou avós caso isso venha a acontecer.

Os acontecimentos na rua merecem atenção

Para que um singelo passeio não se transforme em pesadelo, também é essencial mostrar para as crianças os cuidados que elas devem ter fora de casa. Assim, aceitar guloseimas ou qualquer presente de estranhos deve ser terminantemente proibido, explicando que não tem como saber o que há dentro do doce, por exemplo. Crie regras claras para que a criança saiba como proceder caso um adulto tente levá-la contra sua vontade, ensinando que ela deve gritar por socorro e sinalizar que a pessoa não é sua mãe ou seu pai.

E para tentar evitar ao máximo situações que possam comprometer a segurança dos pequenos, programe seus dias! Diga quem vai levá-los e buscá-los na escola e comunique a eles qualquer mudança na programação. Assim elas perceberão rapidamente se algo estiver errado, podendo sinalizar para algum adulto responsável. Atenção na hora de atravessar a rua e cuidados em relação a assaltos também devem ser noções que os pais não podem deixar de passar para os pequenos.

Os cuidados para o plano B caso a criança se perca

Locais públicos que constantemente estão cheios, como praias e parques, requerem regras específicas. E como infelizmente perder uma criança de vista em um local como esse é uma situação bastante comum, é importante criar um plano de ação caso aconteça com vocês. Certifique-se de que a criança sabe o número do telefone de casa e, ainda, coloque sempre no bolso do pequeno um cartão com os nomes e os telefones dos pais. Oriente o pequeno a mostrar o cartão para alguém, de preferência um funcionário ou uma pessoa uniformizada, caso se perca.

fonte: aster

Prevenção é tudo nesta vida, portanto, cabe a nós, Avôs e Avós, orientar e dar aos nossos netos(as) todas as orientações possíveis quanto aos riscos que eles correm cotidianamente.

O Prof. Collaro dá dicas interessantes de como fazer isso, sem que seja de uma maneira imposta e sim de forma agradável onde a compreensão se tornará mais plena. Assista ao vídeo e veja como isso é possível.  Dê um play.

 

Veja também no Portal AVôVó:

Sua segurança, a de seus familiares e netos. Veja as dicas

AnteriorPróximo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *