Saúde Física

Ficar muito tempo parada pode levar à trombose

a trombose e as implicações para os idosos

A trombose sempre deve ser levada a sério!

O ponto chave desse conteúdo é entender quais são os sintomas da trombose.

Não devemos negligenciar os sintomas e o tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível.

Olá pessoal, tudo bem? Entre as doenças que mais acometem os idosos, a trombose está entre as que mais incomoda.

Ela se caracterizada pela formação de coágulos de sangue no interior de veias ou artérias, impedindo a circulação sanguínea normal, causando dor e inchaço em algum membro.

Geralmente, a trombose acontece em pessoas que têm varizes, que ficam muito tempo sentado – como enfermos – ou pela onda de hormônios – durante a gravidez.

Não existe apenas um classificação de trombose, existem as superficiais e as profundas.

Entretanto, em qualquer dos casos o tratamento com medicação deve ser urgente, porque o coágulo de sangue pode fluir através da corrente sanguínea alojando-se em órgãos como os pulmões, gerando traumas maiores como embolia pulmonar, ou no cérebro, e trombose cerebral.

Todas essas circunstâncias podem levar ao óbito.

Resultado de imagem para trombose

Tipos e sintomas!

O que mais caracteriza a trombose é a região onde ela surge.

Cada região tem uma especificidade com sintomas e condições diferentes.

Vamos entender cada uma delas:

Nas pernas:

Inchaço, vermelhidão e calor no local afetado que pioram com o tempo, geralmente com dor e a pele pode ficar enrijecida.

Esse tipo de trombose é mais comum nas pernas – devido a lentidão da circulação -, mas ela pode acontecer nos braços;

Embolia pulmonar:

Falta de ar, tosse e cansaço, que podem piorar e causar intensa dificuldade para respirar;

No cérebro:

Sintomas de AVC, como formigamento ou paralisia num lado do corpo, boca torta, dificuldade para falar ou alterações na visão.

Entenda como a trombose cerebral acontece e como tratar;

Entretanto, em alguns casos, dependendo do tamanho do coágulo sanguíneo e do vaso sanguíneo onde ele está alojado, ele pode não gerar nenhum sintoma.

Na presença de sinais e sintomas que indiquem trombose, deve-se procurar imediatamente o serviço de urgência médica, para que o médico faça avaliação clínica e, se necessário, solicitar exames como ultrassom ou tomografia, pois, só assim, o tratamento poderá ser iniciado.

O tratamento!

a trombose para os idosos

O tratamento da trombose tem dois grandes objetivos: impedir o crescimento dos coágulos e impedir que os coágulos já existentes se soltem.

Estes objetivos podem ser alcançados através do uso de medicamentos anticoagulantes que são indicados pelos médicos especialistas em cirurgia vascular e os cardiologistas.

Dependo do caso, torna-se necessário a internação para conseguir ajustar perfeitamente as doses de medicações e realizar os exames necessários com maior rapidez.

Independe da condição do paciente, precisando de internação ou não, será recomendado que a pessoa evite ficar sentado com as pernas para baixo e o uso das famosas meias de compressão.

A prevenção!

a trombose para os idosos

O trabalho de afastar as chances de trombose consiste em três pilares principais: boa alimentação – sempre com parceria com profissionais -, boa hidratação e a realização de exercícios físicos com regularidade.

Isso melhora muito, pois, com forma indireta, diminui processos inflamatórios e evita o acúmulo de placas de gordura.

Você pode estar praticando os três pilares, mas, caso você tenha que passar por alguma cirurgia e permanecer um período longo deitado, vale ressaltar alguns pontos: preste atenção aos medicamentos indicados pelo médico, realização de fisioterapia e entenda as possibilidades de fazer movimentos simples para melhorar a circulação.

Caso você tenha varizes, problemas circulatórios ou necessite ficar muito tempo na mesma posição no trabalho é recomendado o uso das meias de compressão.

Além disso, na hora de realizar viagens longas, acima de uma hora, a pessoa deve-se levantar a cada hora e caminhar um pouco, de forma a facilitar a circulação sanguínea.

Fatores de risco e principais atingidos:

  • Histórico familiar;
  • Obesidade;
  • Gravidez e parto;
  • Distúrbios sanguíneos, como trombofilia. Entenda mais sobre esta condição que aumenta o risco de trombose;
  • Lesões ou cirurgias nas pernas ou nos pés;
  • Uso de medicamentos que interferem na coagulação;
  • Período de descanso muito prolongado, seja deitado ou sentado;
  • Idade, o risco aumenta para o dobro por cada acréscimo de 10 anos a partir dos 20 anos de idade;

Veja também no Portal AVôVó:

Meias de compressão. Por que usá-las ?

 

AnteriorPróximo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *