Nutrição

Coma menos carne, principalmente a vermelha!

coma menos carne vermelha

Comendo a carne vermelha, o aparelho digestivo faz um trabalho muito intenso.

Não nos custa muito tentar facilitar esse processo, deixando mais leve a alimentação.


Veja as algumas opções de pratos vegetarianos e uma explicação sobre os efeitos da carne vermelha no organismo.

A carne vermelha pode trazer malefícios à saúde como aumento das taxas de doenças cardíacas e de câncer, principalmente quando consumida em excesso.

Além da carne de vacas, ovelhas e porcos, as carnes gordurosas como bacon e de embutidos como salsicha, linguiça e salame, também causam importantes danos à saúde, e por conterem muitos conservantes acabam se tornando ainda pior que a carne vermelha simples.

Por conter grandes quantidades de gordura, o elevado consumo de carne vermelha aumenta o risco de doenças cardíacas, como infarto e pressão alta.

Mesmo com a retirada do excesso de gordura da carne, ela ainda terá muita gordura entre as fibras musculares, o que é prejudicial à saúde.

Quanto mais fácil de cozinhar, mais gordura a carne tem, devendo-se preferir os cortes com menos gordura, como patinho, maminha, músculo e filé mignon.

carne vermelha gordurosa faz mal aos idosos

Além de ser rica em gordura, a carne vermelha é rica em gordura saturada, que é responsável pelo aumento do colesterol no organismo.

O colesterol elevado faz com que mais gordura se acumule nos vasos sanguíneos, causando aterosclerose, que é o entupimento dos vasos.

O consumo de carne vermelha deixa o sangue mais ácido, e para compensar isso o organismo consome mais cálcio, ferro e magnésio, minerais importantes e que deveriam estar sendo utilizados para a formação de ossos e de hormônios ou para desintoxicar o organismo.

carne vermelha gordurosa faz mal aos idosos

O excesso de carne vermelha, principalmente quando acompanhado de um baixo consumo de frutas, legumes e grãos integrais, aumenta o risco de câncer de intestino, estômago, faringe, reto, mama e próstata.

Isso acontece porque esse tipo de carne aumenta a inflamação no intestino, principalmente as carnes processadas como bacon, salsicha e linguiça, favorecendo alterações nas células que podem gerar o câncer.

As pessoas acabam consumindo mais antibióticos indiretamente das carnes, pois esses medicamentos são dados aos animais para garantir que eles não fiquem doentes e produzam uma carne com menor qualidade, além de evitar despesas extras com o tratamento dos animais.

Esse consumo excessivo de medicamentos gera resistência a antibióticos, dificultando um tratamento eficaz quando as doenças aparecem.

Além disso, o uso frequente de antibióticos pode estimular o surgimento de bactérias mais resistes nos animais, gerando risco de contaminação para os humanos.

carne vermelha gordurosa faz mal aos idosos

Para evitar os malefícios da carne, deve-se preferir consumir peixes e carnes brancas, utilizando a carne vermelha apenas 2 vezes por semana.

Também é importante restringir ao máximo o consumo de bacon, linguiça, salsicha e salame, pois são as carnes mais prejudiciais à saúde.

Além disso, deve-se preferir o consumo de carnes orgânicas, em que os animais são criados livres e sem uso de remédios, sendo também importante aumentar a ingestão de frutas, legumes e grãos integrais, que são alimentos ricos em antioxidantes e protegem o organismo contra câncer e doenças cardiovasculares.

carne vermelha gordurosa faz mal aos idosos

O Avôvó reconhece que nem sempre é possível aderir a todas as dicas.

O mundo está cada vez mais corrido e a alimentação tem que ser colocada de lado em vários momentos, mas, sempre na tentativa de auxiliar, seguimos orientando e selecionando algumas dicas para facilitar esse caminho por uma vida mais saudável.

Acompanhe sempre o Portal AVôVó, pois estaremos colocando receitas que podem substituir a carne, lembrando que é importante consultar sempre um nutricionista, pois para cada caso haverá necessidades específicas de como se alimentar melhor e com qualidade.

Veja também no Portal AVôVó:

Bons hábitos alimentares na terceira idade.

AnteriorPróximo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *