Utilidades

Itália e a nova classificação etária para a terceira idade

itália e a nova faixa etária dos idosos

A idade, o idoso e a qualidade de vida!

Os italianos alteraram a idade mínima para considerar uma pessoa idoso. Daqui para frente, uma pessoa só será idosa na Itália após completar 75 anos.

Vamos entender o conceito e as implicações!

O portal Avôvó vai falar sobre a decisão do governo italiano de alterar o conceito de terceira idade.

Como assim?

Resultado de imagem para itália vilarejo

Aqueles mais desavisados podem não estar sabendo sobre o que estamos nos referindo.

Basicamente, os médicos e especialistas italianos sobre o envelhecimento e a velhice  decidiram recalcular a idade partir da qual uma pessoa é considerada idosa.

A Itália, amada terra de origem de muitos ancestrais que vieram para o Brasil, só considera uma pessoa oficialmente idosa após completar 75 anos de idade.

O conceito da velhice aos 65, está definitivamente ultrapassado.

A Sociedade Italiana de Gerontologia e Geriatria decidiu adiar a velhice em 10 anos, porque hoje, uma pessoa de 65 anos de idade, possui as condições físicas e cognitivas de uma de 40 ou 45, 30 anos atrás.

O leitor do Avôvó sabe muito bem o que pensamos sobre esse assunto: a idade é apenas um número.

As pessoas têm histórias diferentes, condições diferentes e adotaram ao longo da vida hábitos diferentes.

Portanto, um indivíduo pode chegar aos 75 anos com saúde e vitalidade, mas existe a possibilidade de outra pessoa estar debilitado com a mesma idade.

Vamos explicar melhor!

Imagem relacionada

Não somos contra a decisão do governo italiano, através de especialistas, de alterar a idade mínima para considerar uma pessoa idosa.

Pelo contrário, achamos ótimo que a sociedade italiana esteja desfrutando de condições agradáveis de bem-estar social para, de maneira natural, prolongar a expectativa de vida das pessoas.

No entanto, isso deve acontecer naturalmente e o conceito deve mudar depois de alcançado os objetivos.

Por exemplo, não poderíamos tomar a mesma decisão aqui no Brasil, pois não vivemos a mesma realidade da Itália.

Isso só reafirma nossa posição inicial e pontua com clareza que não devemos nos apegar aos números, mas, sim, na qualidade de vida que queremos desfrutar.

A opinião do representante da Sociedade Italiana de Geriatria Roberto Bernabei vai na mesma direção do nosso pensamento, ele diz que uma pessoa de 70 anos hoje – nas condições médias vividas na Itália – , faz aquilo que fazia quando tinha 50, só que com mais experiência e capacidade intelectual.

O médico afirma que a incapacidade – fator principal do envelhecimento – atinge marcas muito baixas entre a média dos italianos.

Imagem relacionada

Para retardar isso é preciso tomar iniciativas que produzam riqueza, cultura e vida social.

O geriatra usa o exemplo do próprio pai que, segundo ele, fundou uma produtora de cinema com 70 anos e obteve muito sucesso.

Bernabei, com muita cautela, fala sobre qual seria a idade mínima para uma pessoa se aposentar, lembrando que essa tem sido uma discussão ferrenha em muitos países -inclusive o Brasil.

A conclusão é: uma pessoa deve parar de trabalhar aos 70 anos de idade. Pelo menos, essa é opinião do médico italiano sobre a atividade profissional, mas a independência na terceira idade não depende só disso.

Os idosos mais autônomos são um resultado de  boa nutrição e exercícios físicos.

Conceitos básicos:

Imagem relacionada

Envelhecimento:

Esse processo acontece com todos os seres humanos e não é possível impedi-lo.

Envelhecer significa viver e o começo dele é muito mais cedo que a maioria imagina.

A grande parte dos médicos, já entende que o processo de envelhecimento começa entre 25 e 30 anos de idade, portanto bem cedo.

Esse processo provoca no organismo modificações biológicas, psicológicas e sociais, mas não confundam envelhecer com velhice.

Velhice:

Basicamente, a última fase do processo de envelhecer humano, pois a velhice  não é um processo como o envelhecimento, é antes um estado que caracteriza a condição do ser humano idoso.

Muitas coisas podem demonstrar que uma pessoa está envelhecendo – como, cabelos brancos, calvície, rugas, diminuição dos reflexos, compressão da coluna vertebral, enrijecimento e tantos outros – mas, isso não garante que ela já seja um idoso.

Veja também no Portal AVôVó:

AnteriorPróximo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *