Segurança

O golpe do portão de sua casa: uma realidade brasileira

segurança dos idosos

O golpe no portão, os assaltantes são muito criativos quando falamos em golpe, inventando uma série de maneiras para adentrar na casa das pessoas sem fazer alarde.

Por isso, Avôvó alerta para os perigos de abrir o portão de sua residência para quem não conhece ou ao atender a campainha da sua casa sem as devidas precauções.

Veja um caso muito comum que está acontecendo por todo o território nacional e atingiu centenas de famílias.

Um vigarista se passa por funcionário de uma grande empresa – como telefônica, Sabesp, Companhia de luz, etc. -, alegando haver reparos necessários dentro da residência.

O morador, possível vítima, apesar de não ter solicitado nenhum tipo de visita técnica, sem desconfiar, acaba permitindo a entrada para realizar o reparo.

O suposto funcionário até finge trabalhar, mas, na verdade, está de olho nos objetos de valor e, principalmente, na bolsa da vítima.

Chega o momento que o vigarista vai pedir um copo de água ou uma ferramenta, garantindo a ausência do proprietário por alguns instantes.

O suficiente para subtrair tudo o que puder, sendo cartões, cheques e dinheiro os mais frequentes.

Os preferidos das quadrilhas são os idosos, pois estes, na maioria das vezes, moram sozinhos e tem menor capacidade de reação.

Além disso, os condomínios sofrem bastante com a ameaça dos arrastões. Veja um tipo de golpe bastante aplicado no Brasil.

O caso mais recente aconteceu em São Paulo, bairro nobre da capital paulista, quando um cidadão muito bem educado se apresentou como gerente de uma nova pizzaria do bairro e solicitou ao porteiro permissão para distribuir panfletos pelos apartamentos.

Caso o porteiro liberasse a entrada, na base da troca, ele traria algumas horas depois uma pizza como forma de gratidão.

Dito e feito, a mesma pessoa surge na frente da guarita, segurando caixa apropriada para carregar pizzas.

O porteiro, todo entusiasmado, acionou a abertura do portão.

O entregador, ao invés de retirar pizzas da caixa, sacou uma pistola e o rendeu, permitindo em seguida, a entrada de seus comparsas, que praticaram, com extrema facilidade, um arrastão no condomínio.

As pesquisas mostram que as pessoas mais descuidadas sofrem um risco maior de assaltos e golpes.

Portanto, chegamos a uma conclusão: Se você não der chance ou dificultar a ação do bandido, provavelmente ele procurará outra pessoa que não possui consciência de segurança.

Separamos alguns exemplos negativos que não devem ser seguidos:

1) A dona de casa J.V. estava preparando o jantar para o seu neto que iria chegar da faculdade, momento que ela ouve a campainha.

A mesma, futura vítima, olha pela janela e vê uma moça oferecendo serviço de doméstica.

A vovó J.V. afirma não precisar do serviço, mas a moça, de forma educada, pede um copo de água.

A vítima atende ao pedido e ao chegar próximo ao portão é surpreendida por um homem armado.

Ela é trancada e amarrada no banheiro enquanto os bandidos roubam os pertences da casa.

Desta forma, oriente seus familiares e empregados para que jamais façam qualquer tipo de favor na porta da residência. Atenda o público, de longe, pela janela, olho mágico ou portinhola da porta da frente.

2) Os aposentados tem o costume de ficar no portão de casa, espiando o movimento da rua.

O aposentado C.D.M. fazia isso todos os dias depois de assistir televisão.

Abria o portão de casa e observava o movimento dos carros. Dois bandidos que passavam a pé pelo local viram o idoso em situação vulnerável.

Utilizaram-se do álibi de estarem perdidos e no momento em que o aposentado ia explicar o caminho, os bandidos encostaram discretamente um revolver na barriga da vítima obrigando-a entrar.

Nunca mais fique plantado na frente de sua residência e perca o hábito de lavar o carro na calçada.

golpe no portão de casa

3) A família se encontra em casa, todos estão ocupados ou descansando.

A campainha toca e uma voz diz: “Quem quer sorvete?”.

Um dos membros pega uns trocados e vai até a porta.

Quando todos percebem o que está acontecendo já não há o que fazer.

Os assaltantes já estão dentro da casa e o perigo é altíssimo.

Por isso, evite comprar coisas na porta de casa, apenas dos vendedores conhecidos.

O Avôvó insiste em pedir cautela, pois não poucos os casos de assaltos nas capitais do Brasil.

Oriente seus familiares a jamais fazer favores ou adquirir mercadorias na porta de casa.

Não aceite funcionários de qualquer empresa que você não tenha chamado.

Atenda a campainha pela porta ou janela.

Evite se aproximar do portão.

Ao atender a porta ou telefone nunca confirme quantas pessoas estão em casa.

Algumas dicas são fundamentais para evitar o golpe do portão:

1) mantenha a conversa sempre a longa distância.

2) jamais diga que está sozinha (o).

3) encurte o papo dizendo que seu marido ou esposa está chamando.

Lembre-se que a porta de sua casa é a chave do cofre, que o marginal quer ver aberta.

Veja também no Portal AVôVó:

Segurança dos condomínios para a terceira idade

 

 

 

AnteriorPróximo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *