Nós do AVôVó, fizemos um estudo analítico sobre o tema e nos deparamos com várias definições e significados das mesmas. Mas definições não passavam exatamente aquilo que queríamos levar até vocês. Então, chegamos a uma abordagem extremamente interessante do professor Gilberto Antônio Silva, autor, escritor e divulgador do Taoísmo -filosofia oriental – para compreendermos as diferenças, que são grandes entre as duas palavras. Ele escreve para o portal taoismo.org e a abordagem que ele nos ensina é:

A diferença básica é como se perguntássemos para alguém o que ela sabe sobre determinado assunto (conhecimento) ou o que ela acha de determinado assunto (sabedoria). Nossas opiniões pessoais são formadas com base no conhecimento, mas passando por uma assimilação deles e sua inter-relação. Nem sempre este processo é totalmente lógico, pois entra em ação também a intuição, que é um canal de conhecimento que a maioria não está acostumada a admitir.

Já vi muitas pessoas dotadas de grande conhecimento, porém sem uma gota de sabedoria. Apenas sabiam recitar trechos de artigos, citar autores e situações semelhantes, mas muitas vezes sem uma opinião própria ou solução. E quando confrontados com uma situação adversa, apenas recitam os autores anteriores, os velhos tratados e os textos clássicos. Mas o que isso lhe trouxe de crescimento interior?

conhecimento e sabedoria

No entanto cansei de ver pessoas sem instrução nenhuma, mesmo analfabetas, dotadas de imensa sabedoria. São comuns no interiorzão do Brasil. Elas também tinham conhecimento, mas através da observação de acontecimentos cotidianos. E era suficiente para transformá-lo em uma profunda e maravilhosa sabedoria.

Conhecer um monte de coisas não torna ninguém necessariamente sábio. A reflexão e meditação no que se conhece é que gera a sabedoria, fazendo associações muitas vezes óbvias mas que ninguém enxergou antes. A sabedoria se mostra no dia-a-dia, como a pessoa enfrenta situações adversas e deriva da absorção do conhecimento, ou seja, ele se torna parte dele mesmo.

Não se trata de lembrar da página X do livro Y, mas simplesmente de “saber”. O filósofo Lin Yutang afirmava que conhecimento sem reflexão era perda de tempo. Concordo completamente. É a absorção do conhecimento que nos torna sábios, não ele em si. E nota-se quando uma pessoa possui a sabedoria na maneira como ela interage com os outros e, principalmente, em como lida consigo mesma. O I Ching afirma “observe pessoas alimentando outras e repare como elas se alimentam a si mesmas” . A sabedoria aparece na própria pessoa, em seus modos e maneiras.

conhecimento e sabedoria

Por que os orientais são vistos muitas vezes como sábios? Porque a filosofia oriental não admite separação entre saber/fazer, teoria/prática. Tudo o que se aprende com os Mestres ou os velhos livros é fundido na consciência e aplicado em qualquer coisa, de lavar pratos a caminhar na montanha. O conhecimento se torna, assim, sabedoria.

Conclusão Conhecimento x Sabedoria

Finalizando, eu costumo dizer a meus alunos o seguinte: CONHECIMENTO É O QUE VOCÊ TEM, SABEDORIA É QUEM VOCÊ SE TORNA COM O QUE TEM.

Veja também no Portal AVôVó:

Por que é tão difícil perdoar?