Destaques, Utilidades

Como escolher um tablet ideal para idoso.

Como escolher um tablet ideal para idoso.

Com um tablet Android diversos recursos e aplicativos estão ao seu alcance!

Como a tela é maior do que a de um celular, é mais confortável para ler, assistir vídeos, acessar redes sociais, jogar e até mesmo trabalhar, afinal, também existe o tablet com teclado e o tablet com chip, para ser usado sem wifi, em qualquer lugar.

Seja para produtividade ou diversão, observe as especificações técnicas para escolher o melhor modelo.


Os tablets Samsung, Multilaser e DL são os mais populares com o sistema Android, nesse artigo explicamos tudo o que você deve saber para escolher o modelo ideal e ainda listamos os top 10 tablets Android do momento. Confira!

O tablet Android ideal deve ter o tamanho de tela e resolução adequada para o seu estilo de uso, a versão do sistema e especificações técnicas também são importantes, assim como, as entradas disponíveis, itens adicionais e se o modelo é um tablet com chip ou não.

Escolha o Tamanho da Tela e Resolução de Adequados ao seu Estilo de Uso

Uma referência para o tamanho do tablet Android é a tela, os modelos menores, geralmente com 7 polegadas (7″), são similares ao tamanho de um cartão postal.

É perfeito para você segurar em uma mão, realizar leituras e para assistir vídeos!

Já os modelos com até 10 polegadas (10″) são ideais para jogos, assistir vídeos com maior qualidade e até mesmo digitar, já que o teclado ficará grande na tela.

Se o foco for produtividade, a escolha deve ser um tablet Android com 10″ ou mais, assim fica fácil manusear da forma que preferir e usar por longas horas o dispositivo.

A resolução da tela é mais importante em telas maiores, já que a definição da imagem é mais aparente.

Em tablets Android de 8″ a 10″ prefira resolução HD, de 1280 x 800 pixels, já em modelos menores você não perceberá tanto a diferença na qualidade da imagem, a resolução de 1024 x 600 pixels está ótima.

Foco na Produtividade?

Resultado de imagem para idoso com um tablet

Prefira no Mínimo Tablet com Android 7.0.

O sistema operacional é onde tudo acontece no tablet Android, o sistema da Google foi criado em 2008, desde então diversas versões foram criadas.

As fabricantes podem colocar diferentes versões nativas do sistema Android no tablet, assim como, realizar melhorias e adaptações no sistema.

O tablet Android 7.0 é a referência, muitos modelos adotam essa versão do sistema (de 2016) devido ao foco na produtividade do usuário.

O funcionamento do sistema deve ser simples, consistente e adequado para as tarefas rotineiras, por isso, prefira no mínimo tablet Android 7.0 se produtividade for o seu objetivo principal.

Marcas como Samsung, Multilaser e DL investiram em adaptações e melhorias nessa e outras versões do Android, verifique se é adequado ao seu uso.

Por exemplo, o tablet para criança possui controle parental sobre o conteúdo exibido, já o sistema adaptado para idosos tem letras e símbolos maiores, fáceis de navegar!

Como escolher um tablet ideal para idoso.

Resultado de imagem para idoso com um tablet

Verifique as Especificações Técnicas

As especificações técnicas do tablet Android são os parâmetros que provavelmente irão fazer você amar ou odiar o aparelho.

Preste atenção se o processador, memória RAM e HD, assim como a bateria e câmera, servem para a sua forma de uso.

Veja se o Processador e a RAM são adequadas para o que você irá fazer

Ninguém iria gostar de um tablet Android que trava a toda hora e não consegue rodar os aplicativos desejados.

No entanto, é fundamental alinhar expectativas em relação ao desempenho do aparelho, em geral, os tablets Android são equipamentos com especificações mais simples, para usos menos exigentes.

O processador de quatro núcleos, quad-core, com capacidade entre 1 e 2 GHz, é a base para muitos tablets Android, para assistir vídeos, acessar a internet e rodar alguns apps está perfeito.

Contudo, se precisa rodar aplicativos e jogos mais exigentes, um processador de oito núcleos, com mais de 2 GHz é o recomendado.

A memória RAM influencia na capacidade do tablet Android em realizar tarefas simultâneas, nesse caso, se usar o aparelho com tarefas simples e um aplicativo por vez, entre 512 MB e 1 GB está perfeito.

Para uso moderado, prefira 2 GB, mas se precisa usar o tablet quase como um computador, 4 GB é o ideal!

Armazenamento HD de 8 GB Serve Somente para os Aplicativos

 Muitos tablets Android vêm com memória de armazenamento HD com capacidade de 8 GB.

Caso precise tirar fotos e gravar vídeos com o tablet, precisará salvar no cartão de memória ou na internet.

Se você somente usar os aplicativos essenciais e mais populares do Android, os 8 GB estão ok, mas se precisa instalar mais aplicativos e salvar arquivos na memória interna, prefira com maior capacidade de armazenamento!

Para Comparar Baterias, Verifique a Autonomia de Uso Indicada pela Fabricante

Um dos principais erros ao avaliar a bateria de um dispositivo móvel é considerar o valor de mAh isoladamente.

Acontece que cada tablet Android tem um consumo energético diferente, por isso, nem sempre um valor alto de mAh significa maior autonomia de uso.

Alguns tablets Android podem ter baterias com menor capacidade, no entanto, como consomem menos energia podem durar mais tempo funcionando.

Por isso, a melhor forma de comparar esse parâmetro é verificar a autonomia de uso indicada pela fabricante, caso este disponibilize a informação!

Esse espaço é usado praticamente por completo se você for instalar um conjunto de aplicativos principais (como redes sociais, players de vídeo, alguns jogos e aplicativos de trabalho).

Como escolher um tablet ideal para idoso.

Resultado de imagem para idoso com um tablet

Se For Usar a Câmera de Vez em Quando, Prefira com 2 MP ou Mais

 A câmera é um recurso bastante valorizado em smartphones.

Contudo, nos tablets Android esse recurso acaba não sendo um fator decisivo para a compra.

Justamente por isso muitas marcas oferecem modelos de tablet com câmeras de resolução bem inferiores às encontradas na maioria dos smartphones.

Porém, é inegável que ter uma câmera no tablet pode ser bastante útil em algumas situações.

Seja para fazer um registro simples, ou para deixar as crianças brincando em aplicativos com filtros divertidos.

Para usos recreativos e simples, como postar imagens nas redes sociais, uma câmera frontal ou traseira com 2 MP já dá conta!

No entanto, avalie seu estilo de uso e se vale o investimento em aparelhos mais caros e com câmeras melhores, ou se você realmente prefere um tablet Android barato, sem tanta qualidade nesse recurso!

Entradas São Importantes, Escolha pelo Menos com MicroSD

As entradas permitem que você conecte um novo dispositivo e aumente as capacidades do tablet.

A referência é a entrada microSD para cartão de memória, somente compre tablets Android que permitam essa expansão, pois a memória nativa do aparelho se tornará pequena conforme você vai usando.

As entradas USB, micro USB e USB tipo C são um item a mais que pode ser muito importante.

Essas entradas permitem que você adapte o tablet Android para se conectar com TVs, monitores, teclados e outros dispositivos.

Se tiver alguma dessas entradas, ainda melhor!

Fones e Canetas São Itens Adicionais que Facilitam a Sua Vida

Resultado de imagem para idoso com um tablet

 Itens adicionais são sempre bem-vindos, por exemplo, o tablet com teclado é muito valorizado para produtividade devido à facilidade que o teclado oferece para digitar.

No entanto, várias marcas vendem a parte o teclado para tablet, por isso, verifique quais itens fazem parte do conjunto do tablet Android que você irá comprar.

Os fones de ouvido e as canetas são dois itens práticos para o dia a dia, com o fone já no conjunto você não precisa se preocupar em comprar um à parte.

Já a caneta da marca, funciona com total compatibilidade e permite que você realize diferentes atividades no tablet, uma grande vantagem se ela vir junto!

Para Usar Fora de Casa, Sem Wifi, Você Precisa de um Tablet com Chip

 Para usar fora de casa você precisará de um tablet com chip, ou seja, que tenha a capacidade para receber uma conexão de dados móveis.

O tablet com chip pode vir com um ou dois slots (dual chip), ideal para quem é cliente de mais de uma operadora de telefonia.

Se irá levar o tablet pra lá e pra cá, prefira com slot de chip!

Está querendo comprar um Tablet?

Agora que você aprendeu sobre as especificações e como comprar um tablet, separamos alguns modelos que pode ser o ideal para você.

O Clube de compras AVôvó e o Magazine Luiza, estão juntos nessa tarefa, ou seja, de lhe ajudar e dar o melhor produto e compra garantida e com toda a segurança, pois aqui só tem loja oficial.

Tablet DL TabFácil 8GB 7,85” 3G e Wi-Fi – Android 7 Nougat Proc. Quad Core

Tablet DL TabFácil 8GB 7,85” 3G e Wi-Fi - Android 7 Nougat Proc. Quad Core

Tablet Multilaser M7s Plus NB300 16GB 7” Wi-Fi – Android 7.0 Quad Core Câmera Integrada

Tablet Multilaser M7s Plus NB300 16GB 7” Wi-Fi - Android 7.0 Quad Core Câmera Integrada

Tablet Samsung Galaxy Tab A T285 8GB 7” 4G Wi-Fi – Android 5.1 Proc. Quad Core Câmera 5MP + Frontal

Tablet Samsung Galaxy Tab A T285 8GB 7” 4G Wi-Fi - Android 5.1 Proc. Quad Core Câmera 5MP + Frontal

Tablet Multilaser M7 3G Plus Dual Chip Quad Core 1 GB de Ram Memória 16 GB Tela 7 Polegadas Rosa – NB305 Rosa

Tablet Philco PTB7QSG 8GB 7” Wi-Fi – Android 7.1.2 Nougat Quad Core

Tablet Philco PTB7QSG 8GB 7” Wi-Fi - Android 7.1.2 Nougat Quad Core

Tablet DL TabFácil para Idosos com SOS, lazer, bate-papo, saúde, ligações, jogos e 3G – Branco

Tablet DL TabFácil para Idosos com SOS, lazer, bate-papo, saúde, ligações, jogos e 3G - Branco

Tablet para Idoso Multilaser M7 3G Plus 8GB 7” – 3G Wi-Fi Android Oreo Quad Core

Tablet para Idoso Multilaser M7 3G Plus 8GB 7” - 3G Wi-Fi Android Oreo Quad Core

Se quiser comprar um celular, veja a matéria que indica como proceder para adquirir o seu de acordo com as especificações e compre com segurança, sempre!

Aqui no Clube de compras AVôVó, só loja oficial!

melhor celular para idosos

Celular ideal para os idosos e como escolher, clique aqui

Prevenindo doenças com os Santos Remédios.

A importância dos hábitos alimentares em doenças como o câncer tem ficado cada vez mais evidente em pesquisas recentes.

Dentre os fatores que podemos controlar, a nutrição adequada é uma das principais formas com que se pode reduzir o risco de determinados tipo de câncer.

foto: Think stock

Existem alimentos específicos que possuem nutrientes diretamente associados não só à prevenção do câncer, mas ao combate da doença mesmo depois do diagnóstico.

Conheça quais são e escolha quais incluir na dieta com mais frequência.

Castanha-do-pará

(Thinkstock)

A castanha-do-pará é uma das maiores fontes conhecidas de selênio.

Este mineral é necessário para manter a função da tiroide e das enzimas do fígado, além de combater radicais livres que podem causar o câncer.

Uma pesquisa feita na Nova Zelândia mostrou que apenas uma castanha-do-pará por dia já é suficiente para manter o nível recomendado de selênio, que não é comumente encontrado nos alimentos, e que a castanha é mais eficiente nesta reposição do que o próprio suplemento isolado.

O equilíbrio, como na maioria dos alimentos desta lista, é essencial: a mesma pesquisa indica que não se deve ingerir mais do que uma ou duas castanhas-do-pará por dia para evitar o acúmulo excessivo do mineral nos tecidos do corpo.

Goiaba

(Thinkstock)

A goiaba vermelha é rica em substâncias que têm se mostrado benéficas contra o câncer, os carotenoides.

Presentes em quase todos os legumes e frutas amarelos, laranjas e vermelhos, pesquisas mostram que esses nutrientes ajudam na prevenção do câncer de pele, mama e de próstata.

A concentração de um nutriente deste grupo, o licopeno, é especialmente alta em goiabas.

Os cientistas acreditam, porém, que não são os carotenoides isolados que protegem contra o câncer, e sim uma sinergia dessas substâncias com os demais nutrientes presentes nos legumes.

Incluir porções desse tipo de alimento, portanto, é mais eficiente do que utilizar suplementos.

A vitamina C também é geralmente associada ao fortalecimento imunológico e estudos mostram que a substância é capaz de combater ativamente o câncer.

Essa substância é muitas vezes associada diretamente à laranja.

Mas, enquanto 100 gramas de laranja tem em média 60 mg de vitamina C, a mesma quantidade de goiaba pode chegar a 330 mg.

A recomendação neste caso, porém, é contrária a dos carotenoides: ainda que a ingestão de vitamina C em frutas e legumes, como a goiaba, seja benéfica para a prevenção de doenças, o impacto nas células cancerosas foi maior utilizando a suplementação intravenosa do nutriente.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer dos Estados Unidos, altas doses de vitamina C ajudaram a reduzir o crescimento do câncer de próstata, pâncreas e fígado.

Também há indícios de que associar a vitamina C à quimioterapia torna o tratamento mais efetivo.

Existem, porém, exceções: um tipo particular de vitamina C, o ácido dehidroascórbico, diminuiu a efetividade da quimioterapia.

Testes com ratos com linfoma e mieloma múltiplo também mostraram desempenho pior no tratamento com a combinação de vitamina C e a droga bortezomib.

 Espinafre

(Thinkstock)

O espinafre é rico em diversas substâncias associadas ao combate e prevenção do câncer, como os carotenoides, o ácido fólico e a vitamina E.

O ácido fólico é importante para a reprodução das hemácias, as células vermelhas do sangue, além de ajudar na manutenção de células novas e prevenir alterações no DNA, que podem levar ao câncer.

A vitamina E também é associada com a diminuição do ritmo de crescimento de tumores, além de fortalecer o sistema imunológico.

Além do câncer, a substância é utilizada de forma complementar a tratamentos de doenças cardíacas, hipertensão, úlceras e alergias.

No entanto, testes utilizando vitamina e selênio mostraram aumento de 17% do risco de câncer de próstata, ao contrário de outros experimentos, que mostravam seus efeitos positivos na prevenção da doença.

Os cientistas sugerem que o segredo pode estar na quantidade.

Eles falam de uma “curva de resposta” em U: níveis muito altos ou muito baixos da substância podem ser nocivos, enquanto quantidades moderadas se mostram beneficia.

Alho

(Thinkstock)

O alho possui propriedades que ajudam o corpo a combater diversos tipos de doenças, com efeitos antibacterianos, antifúngicos e antiinflamatórios.

Além de vitamina C e selênio, o alho possui manganês e vitamina B6, que têm efeito antioxidante.

relatório de saúde feminina do estado de Iowa, nos Estados Unidos, relacionou o consumo frequente de alho a um risco 50% menor de câncer de cólon.

Outro estudo, na China, mostrou que o consumo de alho e alimentos da mesma família reduziu os riscos de câncer de esôfago e estômago.

Uva

(Thinkstock)

A casca da uva, assim como de outras frutas na cor roxo e vermelho-escuro, é rica em resveratrol, substância que é capaz de inibir a formação de tumores no fígado, estômago, mamas e no sistema linfático.

Em casos de câncer, o resveratrol diminui o crescimento do tumor e é até capaz de matar células cancerosas por si só.

Cientistas brasileiros demonstraram que a associação entre resveratrol e quimioterapia potencializam o tratamento e ele é estudado como possível alternativa para tratamento de tumores que não respondem às terapias convencionais.

Salmão

(Thinkstock)

O salmão e outros peixes oleosos de águas profundas são boas fontes de Ômega-3, ácido graxo poli-insaturado que ficou conhecido como uma forma de “gordura boa“, que reduz o risco de ataque cardíaco e é rico em antioxidantes.

Os antioxidantes combatem o envelhecimento precoce das células, o que auxilia a reprodução celular saudável e evita o câncer.

Além disso, o Ômega-3 fortalece os telômeros das fitas de DNA, que servem para selar e proteger o código genético de danos causados por células cancerosas.

Em um estudo publicado no periódico Cancer Prevention Research, altas doses de Ômega-3 ajudaram a reduzir a densidade mamográfica em mulheres acima do peso.

A alta densidade do tecido dos seios é um fator de risco para o câncer de mama.

É preciso destacar, porém, que pesquisas recentes sugerem cautela na ingestão de suplementos de óleos de peixe e outras fontes de Ômega-3.

Publicado no Journal of the National Cancer Institute, um experimento mostrou a relação entre altas doses de Ômega-3 e o surgimento e agravamento do câncer de próstata.

De acordo com os pesquisadores, homens que utilizavam uma dose de suplementação de Ômega-3 (equivalente a três ou quatro refeições de salmão por semana) tinham 71% mais chance de desenvolver o tipo mais grave de câncer de próstata do que pessoas que não usam o suplemento.

fonte: revista exame

AnteriorPróximo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *