Utilidades

Como é avaliada a qualidade da água das praias brasileiras?

avaliação da água da praia

De uma forma bem simples: os biólogos retiram amostras da água do mar, contam o número de bactérias fecais no líquido e determinam se a praia está segura para um mergulho.

Examinar os micro-organismos que sobrevivem nas fezes que em muitos casos são despejadas na água do mar pelo esgoto não tratado das cidades litorâneas é a melhor maneira de dizer se a água de uma praia está poluída a ponto de prejudicar a saúde dos banhistas.

Geralmente, os germes que servem de base para essas medições são coliformes, bactérias do gênero Enterococcus ou a bactéria Escherichia coli.

Esses três tipos de micro-organismos não causam doenças, mas, por serem comuns nas fezes humanas, são fáceis de identificar em testes e costumam ter ciclos de vida parecidos aos dos micro-organismos nocivos que podem surgir no esgoto.

Um detalhe importante é que a avaliação da qualidade das praias leva em conta o resultado de cinco medições semanais.

Se a quantidade de bactérias fecais superar o limite em pelo menos duas medições, a praia é declarada imprópria (veja detalhes no infográfico).

Resultado de imagem para praia imprópria

“Isso quer dizer que a classificação das águas do litoral indica uma tendência para a praia, e não um resultado instantâneo”, afirma a bióloga Cláudia Lamparelli, da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb), entidade que monitora as condições das praias paulistas.

Uma praia também pode ser considerada imprópria em outras situações especiais, como em derramamentos de petróleo e contaminações por algas tóxicas, por exemplo.

Quem arrisca um mergulho numa praia emporcalhada pode pegar uma série de doenças, principalmente se engolir um pouco de água.

O problema mais freqüente é a gastroenterite, que causa febre, vômitos e diarreias.

Para evitar essa dor de cabeça, confira na imprensa ou nos órgãos ambientais de cada estado a saúde da sua praia e respeite duas dicas:

primeiro, fuja dos banhos próximos aos rios que deságuam na praia.

Só para dar uma ideia, 80% dos cursos d’água de São Paulo recebem esgotos não tratados.

Segundo, não entre no mar até 24 horas depois de um temporal, porque a enxurrada lava o solo urbano e carrega todo tipo de sujeira para a água.

Areia de praias poluídas também é risco à saúde, diz infectologista

Imagem relacionada

A orla é sempre uma boa pedida para quem está com tempo livre. Mas quem vai à praia fica exposto à areia, ao vento e à água do mar, o que pode provocar uma série de doenças.

As micoses e parasitoses são muito comuns nesta época do ano. Por isso é preciso tomar alguns cuidados para curtir a praia e as férias com tranquilidade, sobretudo as crianças, que são mais frágeis e podem se contaminar com mais facilidade.

As crianças, como é comum, brincavam nas poças d’água e se enterrar na areia.

Para evitar que as meninas tenham algum problema de saúde, ela toma certos cuidados.

“Além do protetor solar, eu trago água filtrada para que elas lavem as mãos e quando chegam em casa, elas tomam banho e lavam os cabelos”, afirmou.

A infectologista Rosângela Cipriano destacou que como muitas praias estão impróprias para banho, as pessoas precisam mesmo tomar cuidado para não contraírem alguma doença.

“Nas praias são feitos apenas estudos para testar a qualidade da água, mas não para testar a situação da areia das praias.

Como a maioria das praias estão com os níveis de coliformes fecais acima do permitido, os banhistas estão propícios a terem problemas gastrointestinais.

Como a água entra em contato com a areia, é possível que a areia também esteja contaminada”, explicou.

Doenças –

Imagem relacionada

Como vimos anteriormente e reforçamos naovamente, o contato com a água contaminada pode causar gastroenterite, a mais comum entre as doenças que se pega na água imprópria para banho.

A gastroenterite pode ser causada por bactérias, protozoários, como as amebas, ou vírus, como o rotavírus e o norovírus.

Esses micro-organismos entram no corpo quando a pessoa ingere água contaminada, ainda que em pequenas quantidades, ou alimentos que tiveram contato com ela.

De maneira geral, os sintomas são vômito e diarreia, mas também pode haver cólicas, febre e sangue nas fezes.

Outra doença que pode ser contraída é a hepatite A.

Essa doença é causada por um vírus que chega à água pelas fezes de pessoas infectadas.

A contaminação é por via oral, ou seja, pela boca, através da água ou de alimentos que tenham o vírus – ele consegue sobreviver por cerca de quatro horas na pele, após o banho de mar.

“Nas praias, os testes feitos não conseguem detectar o vírus da hepatite A, além disso, não sei se ele sobreviveria por muito tempo na água salgada ao ponto de contaminar as pessoas”, disse Rosângela Cipriano.

A médica alerta ainda que por causa dos seus hábitos, as crianças estão mais sujeitas a contraírem essas doenças, pois é comum que elas ingiram a água do mar, se enterrem na areia e cometam outras ações.

“Além disso, elas não têm um sistema imunológico menos resistente que o dos adultos”, informou.

Mais

Resultado de imagem para praia imprópria

Para prevenir as doenças ou diminuir os riscos de contraí-las, é necessário que cuidados básicos sejam tomados.

Entre eles, observar os aspectos, conservação e transporte dos alimentos consumidos em praias, não frequentar praias sinalizadas como impróprias para banho, evitar levar animais para as praias, manter o corpo e os pé secos, lavar as roupas de banho após o uso, usar chinelos de borracha para não manter o pé úmido, evitar coçar os olhos, caso necessário, lavar as mãos, ingerir bastante água, evitar exposição excessiva ao sol e tomar cuidado com os afogamentos.

Doenças comuns que podem ocorrer:

Imagem relacionada

Bicho geográfico

O que é: parasita que vive no intestino de cães e gatos, que é depositado no solo pelas fezes.

A larva penetra e se aloja embaixo da pele, formando um caminho parecido com um mapa.

Sintomas: coceira e o desenho feito pelo caminho do parasita.

Prevenção: se caminhar em ambiente aberto, como areia, use calçado ou chinelo. Evite levar animais à praia.

Frieira

O que é: doença provocada por um fungo que causa micose entre os dedos, mais conhecido como pé de atleta.

Sintomas: rachaduras entre os dedos que provocam coceira intensa.

Prevenção: seque bem os pés depois de lavá­los, principalmente entre os dedos. Se for preciso, use secador de cabelos.

Intoxicação alimentar

O que é: doença provocada por bactérias que não alteram o sabor dos alimentos.

Em geral é causado pela ingestão de alimentos ou água contaminados.

Sintomas: diarreia, vômito, febre alta, mal estar e dor no corpo.

Prevenção: evite alimentos de origem desconhecida. Tome cuidado com a higiene na hora de preparar a comida.

Desidratação

Resultado de imagem para praia imprópria

O que é: efeito provocado pela falta de líquidos no organismo.

Sintomas: provoca dores no corpo e na cabeça, vômito, tontura e queda de pressão arterial.

Prevenção: beber bastante líquido, de preferência, água. Em alguns casos, procurar o médico.

Insolação

O que é:

Exposição excessiva ao sol que causa queimaduras na pele que vão desde a vermelhidão até a formação de bolhas.

Sintomas:

Mal estar, ardência na pele, queimadura de segundo grau, bolhas. Em alguns casos, enjoo, vômito e tontura.

Prevenção:

Evite exposição prolongada ao sol, entre 10h e 16h, use filtro solar com fator acima de 30 e beba bastante líquidos.

fonte: superinteressante

Saiba os benefícios de caminhar na praia pela manhã, clicando aqui

 

AnteriorPróximo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *