Internacional

Chile: um país maravilhoso e belíssimo

Santiago do Chile

 História do Chile

O Chile é muito mais do que 15 regiões. Somos o testemunho de um espírito indomável. Uma sociedade que coexiste com suas diferenças e, a partir delas, cria o futuro.

As culturas e os povos indígenas que evitavam o contato com exploradores europeus durante séculos foram finalmente colonizados por espanhóis que vieram para a América do Sul em busca de riqueza e glória para a Coroa.

Os reis do continente antigo, conquistas e reconquistas deram lugar aos primeiros heróis de um país. Um território que se tornou uma república e celebra hoje um pouco mais de 200 anos de independência.

Guerras civis, governos liberais e regimes radicais deram lugar ao presidencialismo no século XX. Nosso país estava indo para o progresso sob condutas democráticas. Grandes mudanças ocorreram nos anos 70 e 80, quando mais de 15 anos de governo militar deram lugar à democracia.

Somos um país sólido e confiável, que através de nossos esforços e sacrifícios estabeleceram nossas fronteiras. Aprendemos com nossos diferentes estilos de governo ao longo da história. A experiência e o contraste destes levaram-nos a criar uma consciência pública que se adapta à evolução do mundo e às suas mudanças.

chile1

Informações Gerais

O país mais longo e mais fino do mundo se estende entre a Cordilheira dos Andes e o Oceano Pacífico. Além de compartilhar fronteiras com Argentina, Peru e Bolívia, o Chile também tem território na Polinésia e na Antártica, tornando-se uma nação tri-continental.

Das terras altas até os inexplorados territórios do sul do fim do mundo, o Chile convida você a viver aventuras no meio do deserto mais seco do mundo, a única floresta temperada da América do Sul, de frente para as geleiras antigas que esperam ser descobertas ou sob o olho atento de a imponente Cordilheira dos Andes, no meio do movimento das cidades modernas como a sua capital, Santiago.

Esses contrastes culturais e climáticos marcaram a identidade do país e do povo. Quentes, enérgicos, próximos e amigáveis, os chilenos compartilham o amor por suas terras. O que nos convida a construir links além de distâncias, a viver experiências únicas, a descobrir o Chile.

Costumes e tradições

saltenha

Sabedoria e expressões da alma que são transmitidas de geração a geração e manifestam-se em costumes tão diversos quanto nossas paisagens.

Festividades que encantam e envolvem seus participantes. Trajes e máscaras brilham sob o sol de alto planalto na Fiesta de la Tirana. Mitos e lendas voltam à vida em rituais mágicos polinésios na Ilha de Páscoa. Enquanto em Chiloé, o Minga de apoio celebra a construção ou a transferência da casa local.

Uma grande diversidade de celebrações onde os feriados nacionais são o principal protagonista. Nos dias 18 e 19 de setembro, comemoramos nossa independência nacional com as festas populares. Nos encontramos em “fondas” para desfrutar de alimentos típicos enquanto dançamos ao ritmo de “cueca” e outras músicas populares.

É o imaginário de um país e seu povo, que preserva e recria a essência de um passado ancestral em todo o território.

Patagonia

Para entrar no Chile

Para entrar no Chile, você deve apresentar sua documentação de identificação como bilhete de identidade ou passaporte. E dependendo do seu país de origem, o seu visto marcado.

Os cidadãos da América do Sul, União Européia, Estados Unidos, Canadá e Austrália não precisam de visto como turista. No entanto, alguns países devem pagar uma taxa de caixa (imposto de reciprocidade) após a chegada ao aeroporto no Chile.

Além disso, lembre-se de que, se você trouxer produtos de origem animal ou vegetal, ao entrar, você deve declará-los antes do Serviço Agrícola e Pecuário (SAG), assim você contribuirá para proteger a variada flora e fauna do país.

Clima

 No Chile há lugares onde não houve chuvas durante dezenas de anos, enquanto que em outras áreas a chuva destaca o verde das florestas milenares.

Uma diversidade que encanta e surpreende seus visitantes. Como, como conseqüência de sua geografia, o Chile tem quase todos os climas do planeta e as quatro estações do ano bem diferenciadas. A estação mais calorosa é entre outubro e abril e a estação com temperaturas mais baixas dura entre maio e setembro.

A temperatura está em declínio à medida que você viaja para o sul. No norte, o calor do dia é permanente durante o ano, enquanto as noites estão muito mais frias. A zona central é caracterizada por um clima mediterrâneo e o sul por temperaturas mais baixas e chuvas mais recorrentes ao longo do ano.

O extenso território chileno faz com que o país possua diferentes climas e paisagens. Da congelada região da Patagônia ao seco deserto do Atacama. Na região central do país há variações na temperatura semelhantes as do Brasil, predominante frio no inverno e bastante quente e seco no verão. No inverno as temperaturas ficam em torno de 15 e 20 graus podendo chegar a 0 graus a noite. É recomendado o uso de casacos grossos nesta época, principalmente nas áreas onde geralmente se realizar pratica de ski. No verão as temperaturas ficam em torno de 35 graus e o tempo seco exige o uso constante de hidratantes para pele e protetores labiais.

A região sul do país é predominantemente com clima de inverno da região central e a região norte do país predominantemente com as mesmas características do verão do centro do país. Ainda no verão as temperaturas podem baixar bastante durante a noite.

chile

Moeda

 Desde 1975, a unidade monetária do Chile é o peso, com moedas equivalentes a 1, 5, 10, 50, 100 e 500 pesos, e também 1.000, 2.000, 5.000, 10.000 e 20.000 pesos.

Nas várias cidades do país, é possível encontrar caixas eletrônicos com relativa facilidade que permitem extrair dinheiro na moeda local. Ao mesmo tempo, uma grande parte das lojas estabelecidas permitem pagar com cartões bancários internacionais.

Embora no Chile algumas empresas aceitem dólares ou euros, é conveniente fazer a mudança para pesos chilenos, sempre em lojas estabelecidas, desta forma a diferença na conversão será menor.

Religião

 Na sociedade chilena, a religião desempenha um papel importante e tem sido relevante em vários eventos ao longo da nossa história.

O mundo religioso no Chile reconhece o catolicismo como a fé predominante no território. Seu legado pode ser admirado no rico presente da arquitetura em todo o país. A Catedral de Santiago é um marco no coração da capital. E as mais de 400 igrejas de madeira nativa em Chiloé, das quais 16 foram declaradas Património Mundial pela Unesco, são exemplos disso.

Em nossa sociedade, uma variedade de convicções e práticas coexistem. Seguidores da igreja evangélica, Testemunhas de Jeová, Mórmons, Judeus encontraram em nosso território um lugar com ampla liberdade de culto. Assim, celebra-se festas religiosas dedicadas aos santos patronos e à Virgem. As tradições cheias de identidade nascem da tradição e da fé, como a Fiesta de La Tirana ou o Quasimodo.

chile

Gastronomia

Na riqueza do solo chileno nascem alimentos impregnados com o sabor da natureza que se estendem para o mundo.

Nossos ingredientes imprimiram em cada sabor mais de 4.000 quilômetros de borda costeira e a implantação de 17 climas, tornando-os únicos. Vinhos que compartilham tradições do Velho Mundo e mantêm os segredos da terra.

A partir desses produtos preparados com técnicas locais surgem preparações únicas, dando uma identidade própria e uma vida nova à comida. Entre os pratos locais mais famosos estão os bolos de milho, as empanadas de pino ou o curanto de Chiloé. Nela a comida é cozida no vapor e coberta por folhas nativas e pedras quentes sob o solo.

Efeitos de uma corrente que vem do trabalho daqueles que trabalham na terra, produzem alimentos, transportam, cozinham e se fecham com aqueles que a apreciam na mesa de qualquer lugar do mundo.

tacos
Arte
Expressões que nascem da Terra e vão ao mundo para projetar histórias de uma cidade mágica. Criações que são verdadeiros fragmentos da alma do Chile.

Para pessoas tradicionalmente silenciosas, a música é uma maneira de expressar uma maneira de sentir e sonhar com uma multiplicidade de vozes. Nossa música são criações de tom local que atingem o nível universal.

As obras de Los Jaivas e Víctor Jara transcendem até hoje, pois o resgate e a divulgação da poesia camponesa cantada são o legado de Violeta Parra para o mundo. Sebastián Silva e Andrés Wood encontraram uma maneira de expressar identidade nacional em imagens projetadas em importantes festivais internacionais.

A arte visual chilena chegou aos principais museus e exposições do mundo nas mãos de artistas consagrados, como o mestre surrealista Roberto Matta ou Pedro Lira, fundador do Museu Nacional de Belas Artes. A arte também atravessa as ruas. Como os murais em Valparaíso, onde o talento anônimo e coletivo dá à arte chilena muitas nuances.

A cultura vive e bate no Chile, ele avança, ele se alimenta e cresce permanentemente tentando o mundo inteiro com seus exploradores.

Arica

Arica

Pequena e litorânea cidade do extremo norte chileno, a praia do deserto. Simples e muito charmosa, é geralmente uma das cidades de passagem aos que pretendem chegar ao Peru, ótima opção pela tranquilidade e beleza do lugar, sem falar da possibilidade de um mergulho relaxante (e bastante frio) no Pacífico ou de degustar pratos típicos da região nos restaurantes a beira mar. Avistar toda cidade no Morro de Arica é uma delicia – de vista e de experiência.

Cajón del Maipo

Localizado a 100 km da capital Santiago, ao lado da belíssima Cordilheira dos Andes, esta região que fica também próxima ao Rio Maipo é composta por vales, rios e montanhas. Os principais pontos para visitação no local são as piscinas naturais de águas termais, o Monumento Natural El Morado, Parque Río Olivares, Embalse El Yeso e as Termas del Plomo. Nestes locais e por toda região é possível encontrar diversas atividades ao ar livre como trekking, escalada, montanhismo, passeios de bicicleta, bungee jump, rafting e pesca.

Ilha de Páscoa

Ilha de Pascoa

No Pacífico, a 3200 km da costa do Chile está a misteriosa e isolada Ilha de Pascoa. Para chegar a ela é necessário pegar avião, geralmente partindo de Santiago ou do Tahiti.

A principal atração da ilha é sua própria paisagem, marcada principalmente por esculturas de pedra gigantescas (que chegam a medir 10 metros e pesar 80 toneladas), herança da antiga civilização maoi (da Polinésia) que habitou a região.

Além das diversas trilhas que permitem avistar as ruínas e legado maoi há possibilidade de curtir lindas praias, realizar mergulhos, visitas a ilhas próximas, andar de bicicleta ou ainda cavalgar.

Puerto Varas

Caminhar em torno do lago Llanquihue, conhecer os Saltos de Petrohué e suas águas cristalinas, fazer um passeio de barco, rafting, pescar, visitar Peulla, subir o vulcão Osorno: essas são algumas (sim, apenas algumas) das atividades possíveis a quem visita Puerto Varas. Recomenda-se estadia mínima de quatro dias para que se possa conhecer os principais pontos turísticos da região, porém quanto mais tempo disponível, mais experiências e aventuras terá, claro. Visitar Frutillar e Puerto Montt, por exemplo, são também muito indicado na região.

San Pedro de Atacama

San Pedro de Atacama

Cidade base de apoio aos viajantes que desejam conhecer o famoso deserto chileno, San Pedro de Atacama é uma pequena, quente e árida cidade no norte do Chile, repleta de turistas – não se encontra nativos com facilidade – e boas opções turísticas e gastronômicas na Calle Caracoles.

Outras atrações imperdíveis a sua lista do que fazer no Chile são a visita aos Gêiseres del Tatio, Valle de la Luna e Valle de la Muerte, além de desertos de sal, dunas e piscinas termais naturais.

Santiago

Cosmopolita, movimentada e cheia de atrações como uma boa capital deve ser, organizada como poucas são.
Por sua localização num vale ao lado da Cordilheira dos Andes, Santiago impressiona por sua belissima paisagem. As atrações na cidade vem desde atrações boêmias, museus (tais como o Casa Museo La Chascona, na casa onde viveu Pablo Neruda), parques a badalada vida noturna. Os principais bairros da cidade são Bellavista e Lastarria.

Torres del Paine

Torres del Paine

Pertencente a belíssima região da Patagônia, Torres del Paine talvez seja o mais belo parque do Chile.
Trata-se de uma imensa montanha que pode ser informalmente dividida em duas partes. De um lado, ‘Los Cuernos’; do outro as famosas torres de granito que atraem escaladores de todo o mundo.

Os lagos Sarmiento del Toro, Pehoé, Nordenskjod e Grey são palco de fortes ventos, formando impressionantes movimentos na água. Outra ótima atração é a cascata de Salto Grande.

Valle Nevado

Localizado muito próximo a capital chilena, Santiago, o Valle Nevado é uma indispensável atração no que diz respeito ao que fazer no Chile no inverno. Por ser um dos principais destinos turísticos de inverno do país a região abriga 39 pistas de esqui com teleféricos e outras atrações.

Uma belíssima área de 40 km de neve para esquiar e opções de hospedagens (hotéis e/ou resorts) que oferecem também festas, piscina aquecida e spa e total estrutura de equipamentos para neve.

Valparaíso

Valparaíso

A portuária cidade é o segundo destino mais buscado por estrangeiros no Chile. É cercada por diversos morros que são considerados seu principal cartão postal e também importante mirante da bela cidade. No topo de um deles é possível ainda visitar a Casa La Sebastiana onde viveu o famoso poeta Pablo Neruda.

Apesar de litorânea o principal entretenimento na cidade é visitar (caminhando, cavalgando) os casarios coloniais preservados em seu centro histórico, considerado Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco, bem como toda bela paisagem da região.

Viña del Mar

Cidade litorânea próxima a Valparaíso, famosa por ser um dos mais importantes balneários chilenos.
Apesar das belas praias o mar de água quase congelante do Pacífico desencoraja mergulhos. Ainda assim são lindos cenários para passeios e refeições em restaurantes a beira mar.

Conhecida como “cidade jardim”, Viña del Mar encanta por suas diversas áreas verdes compostas também por castelos e palácios construídos no século passado.

Principais festas populares

Quando buscar o que fazer no Chile não se esqueça de levar em conta na sua escolha da data da sua viagem a época das principais festas do país e, além de conhecer uma cidade nova, vivenciar mais de perto também seus costumes e cultura local.

Semana Valdiviana:

Em fevereiro a cidade de Valdívia comemora seu aniversário com uma grande festa. Há encenação de perseguição entre embarcações que disputam também qual delas é a mais bela. Há danças tipicas, gastronomia local e muita cerveja durante toda semana, a festa se encerra com uma bela queima de fogos de artifício.

Festas da Vindima:

Nas últimas semanas de março se festeja em várias cidades do centro do país a produção de vinho. Há desfile de carros alegóricos e competições como a dos pisadores de uvas. O vencedor é o grupo que produzir mais suco de uva em 10 minutos.

Festa de La Tirana:

A festa acontece entre os dias 12 e 17 de julho. Todos os anos no entorno do Santuário da Virgem del Carmem, no norte do país, atrai turistas e chilenos de todo país, sendo considerada a mais famosa das festas chilenas. Dançarinos mascarados usando roupas típicas e ao som de tambores, flautas e apitos começam a chamada “diablada”, que é a dança para qual acreditam expulsar os demônios.

Carnavalón:

Em fevereiro, 40 dias antes da quaresma, em San Miguel de Azapa acontece o Carnavalón. É considerada a mais tradicional das festas chilenas. Carnavalón é um personagem mitológico responsável pela alegria, fortuna e fertilidade. Nessa festa são feitos também cumprimentos a mãe terra, por eles chamada de Pachamama.

fontes: siteoficialdochile e jáfezasmalas?

Veja também no Portal AVôVó:

As 10 cidades mais visitadas na Europa

 

AnteriorPróximo
O Avôvó é um portal colaborativo criado especialmente e inteiramente dedicado a um público cada vez mais conectado: a terceira idade. Aqui, não só o idoso se sente em casa. Nosso objetivo é também levar conteúdo relevante para familiares, amigos e profissionais que cuidam dessas gerações que chegam à melhor idade redefinindo conceitos e com cada vez mais interatividade e independência, mostrando que idade é só um número.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *