Dicas de Alimentação

Azeite de oliva é bom para a saúde

azeite

Pense duas vezes antes de recusar o azeite na salada da próxima vez

O azeite faz muito bem para o nosso organismo, mas tem gente que não conhece seus diversos benefícios, muito menos a diferença de um para outro. O azeite de oliva, por exemplo, é a prova de que existe gordura saudável. Em geral, os trazem inúmeros benefícios para o nosso corpo. Será que você saberia dizer quais são elas? Confira abaixo os diferentes tipos e conheça-as para poder fazer a melhor escolha de acordo com suas necessidades:

pão e azeite

Azeite de oliva extra virgem

É um azeite de alta qualidade e que proporciona muitos benefícios à saúde. O processo utilizado para extraí-lo é o “com pressão”, em que não há aquecimento. É o mais saudável, pois possui antioxidantes e acidez de até 1%. É recomendável para molhos de salada e pratos quentes. Além de tudo, o consumo regular do extra virgem é benéfico em outros aspectos. Não acumula gordura na barriga, protege dos raios ultravioletas, melhora a digestão, reduz dores e inflamações e, ainda por cima, colabora na absorção de cálcio pelos ossos.


Azeite virgem

O azeite de oliva virgem passa quase pelo mesmo processo. Tem até 2% de acidez e possui um sabor mais leve. É preparado num processo mais maduro das prensagens das olivas e de seus demais óleos. É ideal para pratos frios.

Azeite de oliva puro

O azeite “natural”, cuja embalagem apresenta apenas a descrição “azeite” é uma mistura de azeite refinado e azeite virgem, de acordo com Eryn Balch, da Associação de Azeite de Oliva da América do Norte. Isso ocorre porque, às vezes, a qualidade original não é tão boa quanto a do extravirgem ou a do virgem, então ele precisa ser refinado para remover os odores e sabores ruins, além de ser misturado com o azeite virgem. Devido ao calor presente no processo de extração, esse tipo de possui menos antioxidantes, mas contém as mesmas gorduras monoinsaturadas dos outros tipos de azeite. Essa variedade costuma ser recomendável para frituras.

Azeite de oliva light

Mesmo que o nome sugira ser algo menos calórico, esse tipo possui a mesma quantidade de calorias e a mesma quantidade de gorduras que os outros tipos. O nome dele está mais relacionado ao gosto do que às suas propriedades. É recomendável usá-lo para grelhar alimentos e também para frituras.

azeite

Qual é o mais saudável?

Essa questão é complicada de se responder. Todos esses azeites possuem quase as mesmas quantidades de calorias e gorduras. Os que promovem mais benefícios para a saúde são o  extravirgem e o virgem. De acordo com a FitSugar, o extravirgem possui níveis mais elevados de vitamina A, vitamina E, clorofila e magnésio. Entretanto, o cozimento deles pode destruir uma parte dos componentes benéficos. De acordo com reportagem publicada no jornal Food Research International, cozinhar com azeite de oliva pode degradar os antioxidantes ativos, sendo melhor usar óleo vegetal, que é mais barato.

Além de tudo, há outra questão muito importante, pois o extravirgem que consumimos pode não ter as propriedades que se pensa. Alguns anos atrás, estudos comprovaram que uma das maiores marcas nos EUA não reconhecia as normas estabelecidas pelo registro europeu. A Comissão de Comércio Internacional dos EUA publicou uma reportagem dizendo que as normas internacionais do extravirgem abordavam qualidades forçadas para fortalecer a comercialização. Então é sempre bom reforçar os cuidados com as informações que a indústria nos passa, para que assim não sejamos enganados.

Não perca nenhum conteúdo do Portal Avôvó! Informe seus dados e receba atualizações por e-mail.



Azeite de oliva

O azeite de oliva goza de uma excelente reputação e está listado como um dos elementos-chave da saúde cardiovascular. No entanto, ele é mais benéfico do que se imaginava, agora novos estudos descobriram que o azeite de oliva é bom para a saúde dos olhos, pois parece impedir a degeneração macular, uma doença que afeta a retina de pessoas idosas e é a segunda principal causa de cegueira em idosos, após a diabetes. Tem componentes que protegem os vasos sanguíneos dos olhos e reduzem o risco de perda da visão, especialmente após os 50 anos. Os resultados de dois estudos foram publicados na revista “Archives of Ophthalmology” este mês.

O estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Sydney e Centro de Pesquisa na Austrália, seguindo 9.234 adultos que tinham uma dieta mediterrânea rica em ômega 3 (encontrado em peixes, nozes e azeite de oliva) descobriu-se que eles eram menos propensos a desenvolver problemas na retina. Sabemos também que esses problemas oculares estão diretamente associadas com a nutrição.

azeite

Como o Azeite Deve Ser Consumido?

Segundo a Food and Drug Administration (FDA), o ideal é tomar 2 colheres de sopa (23 gramas) por dia. Uma coisa importante a se notar é que, apesar de todos os óleos de oliva conterem gordura monoinsaturada, aqueles classificados como “virgem” e “extra virgem” são mais benéficos para a saúde do coração e dos olhos, pois são os menos processados e contêm os mais altos níveis de polifenóis, um antioxidante que é essencial para a saúde.

Além disso, contém outros componentes anti-inflamatórios que ajudam a proteger os vasos sanguíneos nos olhos e reduzem o risco de degeneração macular com a idade.

Veja também no Portal AVôVó:

Nutrição e diferenças entre os diversos tipos de pães

 

AnteriorPróximo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *