Dicas de Alimentação

Arroz com feijão, uma combinação de excelência para os idosos

arroz com feijão para os idosos

Os brasileiros consomem muito os dois juntos e, especialmente, os idosos podem se beneficiar muito com isso. Ajuste no colesterol, sistema cardiovascular e diabetes são apenas alguns dos benefícios possíveis.

Os brasileiros comem arroz com feijão quase todos os dias. As dimensões continentais do nosso país proporcionam uma variedade incrível de comidas típicas, sendo o arroz com feijão uma tradição popular por todo o Brasil. A variação mais comum nesse prato é o feijão, pois, dependendo da região, a opção muda com frequência.

Como isso aconteceu? Os europeus trouxeram o costume de consumir arroz, sempre como acompanhamento nos mais variados pratos, e os índios influenciaram com o feijão, frequentemente consumido com farinha de mandioca. Os colonizadores realizaram a mistura sem dificuldades, pois o grão era facilmente encontrado por todo o território. O mais curioso é a popularidade do prato, Dom João VI incorporou a mistura às refeições da corte portuguesa e o prato era servido aos escravos, ou seja, todos. Não a toa tornou-se a prato mais consumido do Brasil.

arroz com feijão para os idosos

Alto valor nutritivo

O alimento costuma ter um status – predefinição – menos nobre, pois diariamente completam o prato dos brasileiros e torna frequente demais para ser valorizado. Outro fato, muitos atribuem os quilinhos a mais ao arroz com feijão. Vejamos a seguir o valor nutricional e os motivos que desmentem a sensação de engordar. No entanto, vale ressaltar, o mais importante é a combinação. Ou seja, é melhor comer arroz com feijão do que apenas um ou outro. Vamos entende-los separadamente para conseguir compreender o efeito que causam juntos na alimentação:

Arroz, composição e tipos:

As características mais ricas do arroz são a abundância de vitaminas no complexo B e quantidade de fibras.

  • B1:ajuda no funcionamento do sistema nervoso e muscular – incluindo o sistema cardíaco;
  • B2: Ajuda o organismo a metabolizar proteínas, carboidratos e gorduras;
  • B3: mantém a pele saudável e ajuda no funcionamento do aparelho digestivo e do sistema nervoso, além disso ajuda a reduzir o colesterol;

arroz com feijão para os idosos

Outro ponto, a metionina é um aminoácido essencial para o funcionamento do organismo humano, facilitando a função hepática e a absorção saudável de gorduras. A Embrapa – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, publica – afirmou que o arroz ganha de outros cereais, como milho e trigo, no comparativo nutricional.

  • Arroz integral: o mais nutritivo. Por não passar por nenhum tipo de polimento, fica com a coloração mais escura, mas retém a maior parte dos nutrientes. Esse tipo fica um pouco mais duro após o cozimento.
  • Arroz preto: bastante usado em saladas, o arroz preto é cultivado na China há mais de 4 mil anos. É muito rico em compostos fenólicos que têm grande poder antioxidante, ajudando a prevenir o envelhecimento precoce e outros problemas de saúde – opção para a terceira idade -, além disso possui 30% mais fibras.
  • Arroz parboilizado: Ainda na casca, passa por um tratamento hidrotérmico. Desse procedimento resulta um grão com mais nutrientes em relação ao arroz polido, como vitaminas e sais minerais.
  • Arroz branco: Somente é rico em amido. Por conta do processo de polimento, acaba perdendo a maioria dos nutrientes.

Feijão, composição e tipos:

O feijão, assim como o arroz, é fonte de vitaminas do complexo B, como B1, B2, B3 e B9, que especialmente ajuda no sistema nervoso e medula óssea. Além disso, a lista de sais minerais não faz feio: ferro, cobre, magnésio, zinco, fósforo, cobre, cálcio e potássio. O organismo não produz a lisina – essencial para o funcionamento dos órgãos -, o feijão é uma ótima fonte.

Curiosidade, o feijão mais popular no Brasil é o carioca – tem esse nome por lembrar o calçadão de Copacabana. Vamos conhecer as outras opções e as características:

arroz com feijão para os idosos

  • Feijão branco: Como contém amido resistente ajuda a queimar gorduras. Livre de colesterol é um excelente aliado para quem quer fazer uma dieta saudável. Também apresentam quantidades moderadas de carboidrato, ferro e cálcio.
  • Feijão preto: o mais popular na região sul e em boa parte do sudeste (Rio de Janeiro e Espírito Santo), ele ajuda a controlar o colesterol e a hipertensão arterial, devido ao seu nível de potássio. Como reduz os níveis de gordura no sangue, é uma opção para diabéticos.
  • Feijão Carioca: o feijão carioca contém mais proteína, fibra e magnésio do que o feijão preto, mas perde em ferro, fósforo, potássio e cálcio. Assim como o feijão preto, ajuda a reduzir o colesterol e a controlar a pressão arterial.
  • Feijão-de-corda: O Brasil está entre os maiores produtores e consumidores mundiais. Esse tipo de feijão conta com uma proteína chamada vicilina, que ajuda a reduzir as taxas de colesterol. Associada à boa quantidade de fibras do feijão, protege ainda mais contra doenças cardiovasculares.

A combinação: inseparáveis (por sua saúde melhor)

Comer feijão com arroz vai trazer mais benefícios para seu organismo do que comer apenas arroz, ou apenas feijão. Isso acontece porque o organismo não consegue digerir todas as proteínas que o feijão tem se o comermos isoladamente. Mas, basta misturar o feijão com o arroz (ou outro cereal) que o organismo consegue digerir e absorver as proteínas e vitaminas. O que falta em um, o outro completa. O arroz, por exemplo, é pobre em lisina, mas o feijão tem o aminoácido em abundância. Já o feijão é pobre em metionina, um aminoácido encontrado de sobra no arroz.

O Ministério da Saúde, através de um Guia Alimentar, diz que o feijão com arroz pode fazer parte da nossa alimentação diária. Nutricionistas só alertam para a quantidade de feijão com arroz que devemos comer. Se exagerar no prato, claro que os benefícios acabam se transformando em quilinhos a mais. Exagero nunca é bom em nenhum caso, por isso a proporção ideal é uma porção de feijão para duas de arroz.

Um prato que pode se tornar um inimigo na hora da dieta é a nossa tradicional feijoada. O problema não é o feijão, mas a quantidade de carnes gordurosas que ele leva, como toucinho, linguiça, carne seca, lombo, costela, sem falar da orelha, rabo e pé do porco. Isso dá uma quantidade de gordura enorme que vai se sobrepor aos nutrientes do feijão preto com arroz. O ideal é tentar fazer uma “feijoada light”, com carne seca magra e sem as carnes do porco.

Comer diariamente essa combinação de arroz com feijão vai nutrir seu organismo e ajudá-lo a prevenir doenças, como câncer, problemas cardiovasculares, entre outros. Além disso a combinação ajuda a controlar a diabetes e ainda ajuda o intestino a funcionar melhor, por conta do alto teor de fibras. No caso da diabetes, o arroz separadamente pode aumentar os índices glicêmicos, mas o feijão controla esse efeito. Por isso o equilíbrio entre arroz e feijão é indispensável.

Benefícios do arroz com feijão:

  • Emagrecer: quem está de dieta pode – e deve – comer arroz com feijão. Como a combinação tem pouca gordura, vai ajudar a saciar a fome e manter o organismo nutrido, ajudando no processo de emagrecimento.
  • Exercícios: quem está querendo emagrecer ou apenas se manter saudável, o feijão com arroz ajuda muito na hora dos exercícios, principalmente para quem faz musculação.
  • Diabetes: feijão com arroz ajuda a controlar a diabetes por ser uma combinação com baixo índice glicêmico.
  • Doenças cardiovasculares: feijão com arroz consiste em uma dieta baixa em gorduras, porém é rica em antioxidantes, proteínas, fibras e isoflavonas, reduzindo o colesterol e o LDL séricos e protegendo o organismo de doenças cardiovasculares.

Veja também no Portal AVôVó:

Mini pizza de berinjela com ricota

AnteriorPróximo
Claudio Mello
O Avôvó é um portal colaborativo criado especialmente e inteiramente dedicado a um público cada vez mais conectado: a terceira idade. Aqui, não só o idoso se sente em casa. Nosso objetivo é também levar conteúdo relevante para familiares, amigos e profissionais que cuidam dessas gerações que chegam à melhor idade redefinindo conceitos e com cada vez mais interatividade e independência, mostrando que idade é só um número.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *