Lazer & Entretenimento

Amizade, um bem precioso na terceira idade

Amizade um bem precioso

Amizade, um bem precioso na terceira idade.

A palavra é bonita e o sentimento é um dos melhores.

É esse laço invisível que nos une aos outros.

Um vínculo afetivo que nasce com pessoas que cruzam nosso caminho e, de forma quase mágica, se transformam em seres imprescindíveis em nossas vidas.


É uma relação entre iguais, que nos dá a satisfação de compartilhar experiências, nos sentir seguros e confiar por completo em alguém.

Surge um problema em sua vida e parece que o mundo está desmoronando em volta de você.

Você sente a necessidade urgente de conversar com alguém, mas não com qualquer um.

Pega o telefone, disca um número e, após alguns minutos, começa a se sentir muito melhor.

A voz do outro lado está há vários quilômetros de distância, mas deu ouvidos ao que acontecia com você, disse o que pensava sobre aquilo e, então, você se sente reconfortado.

Existem vários  tipos de “amigos” e, consequentemente, de amizades.

Vamos nos concentrar na amizade verdadeira.

Na amizade na qual ninguém se impõe, nem se programa.

É construída aos poucos, baseada em esforço e dedicação de ambas as partes.

Com o passar do tempo, essa relação cria um vínculo forte o suficiente para se manter e se prolongar no tempo.

amizades na terceira idade

Valores nos quais se baseiam a amizade

Buscamos refúgios em nossos amigos para que eles nos ajudem com nossos problemas.

Escutamos seus conselhos, porque não nos julgam, não nos dizem o que queremos ouvir, mas sim o que é, verdadeiramente, melhor para nós.

Confiamos a eles nossos segredos, nossas inquietudes e nossos projetos.

Também são a quem recorremos para que façam parte de nossas alegrias.

Uma verdadeira amizade não entende de distância, de horários, nem tem data de validade.

É uma relação na qual buscamos e oferecemos apoio mútuo.

Um bom amigo nunca anula o outro, mas sim o ajuda a superar os problemas.

A amizade se baseia na empatia.

Na capacidade de compreender e se colocar na pele da outra pessoa, de sofrer e se alegrar com ela.

É um vínculo que nos capacita a “dividir as tristezas e multiplicar as alegrias”.

Uma relação saudável e construtiva se baseia em valores, tais como a sinceridade, a compreensão, o afeto mútuo, no respeito, a comunicação, a entrega, a preocupação com o outro, a confiança sem limites, a paciência, a capacidade de escutar e em saber perdoar.

A coerência, a flexibilidade, o generosidade, a gratidão e a lealdade são outros valores, para se ter em conta, na consolidação de uma relação de amizade.

amizades na terceira idade

Benefícios da amizade

Nossa condição de seres sociais é o que cria a necessidade, quase imperial, de estabelecer relações e vínculos com outras pessoas.

A amizade, portanto, é importante na vida de uma pessoa, pois tem consigo uma enorme carga emocional.

Diz o ditado que “quem tem um amigo, tem um tesouro”, e ele tem toda a razão.

Se sentir querido por alguém com quem não temos laços sanguíneos dá satisfação e certo apoio emocional.

Esta ligação fortalece nossa autoestima e o prazer de nos sentirmos acompanhados.

Além disso, nos proporciona confiança e segurança de contar com o respeito de alguém nos momentos difíceis.

O isolamento

Todos nós precisamos de alguém ao lado para dividir aqueles momentos singulares da vida, as nossas experiências, angustias, anseios, felicidades e até para brigar de vez em quando, e há uma certa época da vida em que a solidão se torna cada vez mais inevitável, a não ser que você faça algo para mudar.

A terceira idade tem se tornado um público online cada vez mais freqüente nas redes sociais.

Em busca de uma companhia para frear os efeitos, muitas vezes devastadores, que o isolamento tem sobre as pessoas, eles passaram a assimilar os diversos tipos de tecnologias muito bem.

Em um mundo onde o campo virtual já interfere de maneira significativa na vida das pessoas e onde a necessidade de se encaixar na sociedade e definir sua personalidade é cada vez mais importante, os idosos se sentem cada vez mais perdidos e até um pouco desintegrados do convívio social.

As redes sociais

É como se a sociedade afirmasse que depois dos sessenta anos, você não é mais capaz de realizar nada na sua vida, pois já viveu tudo que tinha para viver, por conta disso fica dependente dos amigos e familiares deixando que a solidão tome conta da sua vida, porém ela pode machucar.

Outras vezes então, longe dos familiares e sem o companheiro e os amigos que, ou estão distantes, ou infelizmente já morreram, a própria saúde tem o dom de afastá-los de tudo, impedindo que eles saiam de casa devido a impossibilidade de realizar maiores esforços físicos por conta dos problemas cardíacos e respiratórios, por exemplo.

Logo, o tédio chega e junto com a seguinte pergunta:

O que fazer nessas condições para combatê-lo?

E de maneira simples, a solução se dá através das redes sociais.

As redes sociais como solução

Como um caminho para atravessar as tantas barreiras impostas, as redes sociais aparecem como um aliado para que os idosos possam se sociabilizar e assim encontrar novas amizades.

O Facebook ainda é a rede social mais usada, porém, possuímos hoje muitas outras redes com acesso mais simples e formatado especialmente para este público, permitindo assim que os idosos aprendam o passo a passo da tecnologia uma vez que antes existia uma relutância em aceitar até a máquina de escrever por parte deles.

Uma vez envolvidos com essa tecnologia toda, a depressão pode ser evitada já que não é apenas um simples modo de integração, e sim uma troca de experiências tão grande e inovadora que eles conseguem crescer como pessoa e ainda despertar para as recentes descobertas e possibilidades da vida, traçando objetivos e metas cada vez mais ousadas.

Essa conexão se torna um desafio para estas pessoas.

Além de ter que entrar em sintonia com ferramentas tecnológicas ao qual eles não tem tanta facilidade, mais pela questão de geração do que de aprendizado, eles tem que passar por cima das dificuldades físicas além das doenças já citadas, já que para aqueles que possuem artrite e problemas de coordenação motora, apenas controlar o mouse já se torna uma ação difícil.

amizades na terceira idade

Aumento na interatividade online

O contato com as redes por parte dos idosos também acaba facilitando a tarefa dos próprios familiares que, incomodados em ter que monitorá-los a todo instante devido aos cuidados com a saúde, acabam se sentindo mais seguros para seguir os passos deles de forma menos invasiva, portanto, desfazendo laços de dependência ao qual estes nunca estiveram acostumados como pessoas que trabalharam durante toda a vida e que agora se vêem obrigados parar com suas atividades por conta da idade.

E os usuários de redes sociais com mais de sessenta anos só tendem a aumentar.

Por isso, esse público em potencial está sendo encarado com mais seriedade do que antes, pois fora a internet, a integração acontece pelos tantos dispositivos eletrônicos existentes, como é o caso dos celulares, que já possuem aparelhos feitos especialmente para os idosos, com números maiores, chamadas por voz e modelos que sejam mais simples e acessíveis para eles, além do que, vivendo sozinhos e com os filhos criados, eles dispõem de certa economia ao qual estão dispostos a gastar com a tecnologia se isso significa um antídoto para o isolamento social.

Além dos celulares, outras medidas para melhor adequação das pessoas desta faixa etária a tecnologia já estão sendo adotadas, na questão do web designer, por exemplo.

Os sites de todo o mundo já estão tomando consciência que idosos terem acesso a internet não é mais coisa do outro mundo e que muito deles tem sérios problemas de visão, devido a isso, ficam atentos a manutenção dos sites para que a visualização não seja motivo de maiores problemas para eles.

Idoso sim, obsoleto não

Nos dias de hoje, envelhecer virou uma opção.

Apenas envelhece quem quer.

Quem não quer, mesmo com tamanhas dificuldades, ainda assim encontra diversas maneiras de fazer com que sua presença seja notada, seja de modo virtual ou não.

A internet, junto com as redes sociais está ai para provar isso.

Um neto que mora distante de sua avó, pode conversar com ela via skype na hora que quiser.

Hoje, isso já é mais do que uma realidade, é um fato.

Em 2050, a população com mais de 60 anos crescerá até 20%.

Com isso, já não podemos mais negar que o uso da tecnologia será indispensável em todo o mundo.

A terceira idade não a usará somente para fugir da solidão, do isolamento ou para se reintegrar socialmente, mas sim pela necessidade de se adequar a maioria serviços oferecidos nos muitos seguimentos que já usam de meios digitais para atender a população.

amizades na terceira idade

O campo tecnológico, de um modo bem amplo, é imenso e tem espaço para todos. Não podemos deixar a terceira idade de lado.

Em um mundo que se fala tanto em inclusão, aceitação e respeito ao próximo, eles ainda sofrem muito com a incompreensão das pessoas em relação a muitos aspectos, principalmente das que esquecem que farão parte deste grupo um dia.

VôVó, no quesito digital, conversar com seus filhos, amigos e até mesmo netos(as), para que lhe deem dicas de como manusear e se tronar uma expert no assunto.

Existem muitas pessoas e empresas que agem com má fé nas redes sociais. Você precisa se certificar direitinho com quem está lidando, pois é um ambiente que não dá para ser ingênua(o).

O mais importante é você participar de comunidades fechadas e que sejam seguras, assim bem como se for comprar algo, consulte as pessoas acima citadas.

Tenha sempre em primeiro lugar em sua cabeça: a sua segurança e os daqueles que convivem contigo.
amizades

Os benefícios de ter amizades com idosos, clique aqui para saber mais

AnteriorPróximo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *