Sem categoria

Alimentos que ajudam no combate à depressão

Alimento foto criado por timolina - br.freepik.com

Alimentos que ajudam no combate à depressão.

A depressão é um distúrbio afetivo mais que comum nos dias atuais.

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que mais de 350 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem com a doença e indicam, ainda, que a incidência é mais forte no público feminino.

Os principais sintomas são a falta de energia, alterações de humor, falta de interesse e motivação para as atividades cotidianas e crises de ansiedade.

O cérebro humano produz uma série de substâncias químicas, os neurotransmissores, que são responsáveis por controlar inúmeras funções em nosso organismo.

A depressão ocorre quando uma dessas substâncias, a serotonina, está em baixa.

Ela é capaz de fornecer ao cérebro a sensação de bem-estar, regulando o humor e também dando a sensação de “saciedade”.

De acordo com Felipe Rizzetto, nutricionista do Hospital Federal da Lagoa (RJ), a alimentação pode ajudar muito no processo de cura da doença.

“A alimentação pode ajudar diretamente na produção da serotonina, o que ajuda a aumentar o bom humor e combater os sintomas da depressão.

Entretanto, vale ressaltar que ela não substitui o tratamento da doença, com a intervenção medicamentosa e terapia”, explica.

É importante lembrar que, caso os sintomas se apresentem com maior gravidade, é imprescindível buscar a ajuda de um psiquiatra.

Dica: Saiba mais sobre a serotonina, clicando aqui

Alimentos que ajudam no combate à depressão

Fundo foto criado por pvproductions - br.freepik.com

Quer saber quais alimentos melhoram o humor e são ótimos para dar uma forcinha no combate à depressão?

Ovos:

Eles são uma boa fonte de vitaminas do complexo B, que colaboram com o bom humor.

O recomendado é uma unidade por dia, no máximo.

Quem tem colesterol alto deve se preocupar com o consumo excessivo e evitar este alimento frito.

Castanha-do-pará:

É rica em selênio, um poderoso agente antioxidante.

A castanha pode ajudar na redução do estresse.

São recomendadas de duas a três unidades diárias.

Nozes e amêndoas:

Também são fontes ricas de selênio e ajudam a minimizar os sintomas.

Recomendação é de quatro a cinco unidades de nozes ou 10 a 12 unidades de amêndoas.

Também dá para fazer uma mistura dos dois sabores.

Mel:

É estimulante e ajuda na produção de serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de prazer e bem-estar.

Para usufruir dos benefícios, duas colheres de sobremesa ao dia são suficientes.

Leite e iogurte desnatado:

São fontes ricas de cálcio, mineral que elimina a tensão e depressão.

O cálcio ajuda a reduzir e controlar o nervosismo e a irritabilidade.

É recomendado o consumo de 2 a 3 porções por dia.

Melancia, abacate, mamão, banana, tangerina e limão:

Todas essas frutas são ricas em triptofano, aminoácido que ajuda na produção de serotonina.

É recomendado o consumo de três a cinco porções de frutas todos os dias.

Laranja e maçã:

São excelente fontes de ácido fólico, cujo consumo está associado à menor prevalência de sintomas depressivos.

Além de ser rica em vitamina C, a laranja promove o melhor funcionamento do sistema nervoso, garante energia, ajuda a combater o estresse e previne a fadiga.

Fonte: Saúde.gov.br

Veja também no Portal AVôVó:

Dieta do Mediterrâneo pode melhorar a depressão em idosos

AnteriorPróximo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *