Lazer & Entretenimento

20 livros que você jamais vai esquecer que leu !

indicação de livros para idosos lerem

Uma pesquisa realizada através do BuzzFeed, via Facebook, mostrou quais foram os livros que mais marcaram os seus leitores e aqui estão os títulos que serão publicados pelo AVôVó para que você os conheça.

Vejam quais são eles:

1. A autora de “Outros Jeitos de Usar a Boca” tem 24 anos e o livro é uma coletânea de poesias sobre amor, violência, abuso e perda.

"Eu li o livro com calma, tentando superar os socos que ele me deu. Ele me engrandeceu, me deu forças e se tornou meu porto seguro. Não tem mais bad, não tem mais tristeza. Cada verso me empodera, me deixa mais forte, me faz continuar". - Julia RochaPor R$ 19,90 na Saraiva.

“Eu li o livro com calma, tentando superar os socos que ele me deu. Ele me engrandeceu, me deu forças e se tornou meu porto seguro. Não tem mais bad, não tem mais tristeza. Cada verso me empodera, me deixa mais forte, me faz continuar”. – Julia Rocha

2. “O Anjo e o Resto de Nós” é uma saga familiar focada em quatro irmãs com nomes de flor.

"Todos os personagens são marcantes, intrigantes e apaixonantes. É a história do crescimento e declínio de uma família depois da morte da mãe. Conta a história de cada uma das filhas do casal, uma diferente da outra. Te prende". - Raquel Chiarentin.

“Todos os personagens são marcantes, intrigantes e apaixonantes. É a história do crescimento e declínio de uma família depois da morte da mãe. Conta a história de cada uma das filhas do casal, uma diferente da outra. Te prende”. – Raquel Chiarentin.

3. “Admirável Mundo Novo”, de Aldous Huxley, fala de um futuro distópico no qual as pessoas são oficialmente divididas em castas superiores e inferiores.

"Uma sociedade inteiramente organizada segundo princípios científicos, na qual a mera menção das antiquadas palavras “pai” e “mãe” produzem repugnância. Um mundo de pessoas programadas em laboratório, e adestradas para cumprir seu papel numa sociedade de castas biologicamente definidas já no nascimento. Um mundo no qual a literatura, a música e o cinema só têm a função de solidificar o espírito de conformismo. Um universo que louva o avanço da técnica, a linha de montagem, a produção em série em a uniformidade". - Tacymara SuellenNa Saraiva por R$ 26,50.

“Uma sociedade inteiramente organizada segundo princípios científicos, na qual a mera menção das antiquadas palavras “pai” e “mãe” produzem repugnância. Um mundo de pessoas programadas em laboratório, e adestradas para cumprir seu papel numa sociedade de castas biologicamente definidas já no nascimento. Um mundo no qual a literatura, a música e o cinema só têm a função de solidificar o espírito de conformismo. Um universo que louva o avanço da técnica, a linha de montagem, a produção em série em a uniformidade”. – Tacymara Suellen

4. “As Pelejas de Ojuara – O Homem que Desafiou o Diabo”, de Nei Leandro de Castro, é uma história brasileira de fantasia que já virou filme.

"Só mais uma prova de como a literatura brasileira é incrível. Um livro antológico que conta a história de um homem (Araújo) que, cansado de viver uma vida comum, se tornou Ojuara, poeta, cantador e aventureiro que roda pelos locais mágicos ou não do Nordeste brasileiro. Maravilhoso é pouco pra esse livro". - Eric SantiagoTem na Amazon por R$ 45.

“Só mais uma prova de como a literatura brasileira é incrível. Um livro antológico que conta a história de um homem (Araújo) que, cansado de viver uma vida comum, se tornou Ojuara, poeta, cantador e aventureiro que roda pelos locais mágicos ou não do Nordeste brasileiro. Maravilhoso é pouco pra esse livro”. – Eric Santiago

5. “A Menina Que Roubava Livros” se passa na Alemanha nazista, e o narrador é a própria morte.

"Esse livro teve e ainda tem um grande impacto sobre mim. Na metade do livro eu já estava soluçando, mas ainda assim, alguma coisa me impulsionava para continuar!" - Cat Casagrandi

“Esse livro teve e ainda tem um grande impacto sobre mim. Na metade do livro eu já estava soluçando, mas ainda assim, alguma coisa me impulsionava para continuar!” – Cat Casagrandi

6. “Paraísos Artificiais”, de Paulo Henrique Britto, são contos sobre situações que parecem triviais mas são extremas.

Resultado de imagem para livro paraísos artificiais

“Eu li esse livro de contos para a aula de literatura do 3o ano do ensino médio, em 2009. Até hoje eu ainda me pego pensando em algumas histórias dele, porque elas são muito intrigantes. A melhor, de longe, é a do último conto, chamado ‘Os Sonetos Negros’. Não vou contar muito, pra não estragar a surpresa de quem ler, mas é sobre uma pesquisadora que vai atrás dos manuscritos de um poema de uma poetisa que, para ela, era a maior poetisa. Ela consegue encontrar o marido da poetisa, já idoso, e revelações surpreendentes se seguem…” – Allan Felipe

7. “A Marca de uma Lágrima” marcou a adolescência de muita gente.

"Não sei se amaria tanto hoje que sou mais velha, mas me levou a ler muitas outras histórias". - Amanda Sousa"Também foi meu primeiro livro, acho que eu tinha uns 12 anos. Também nunca esqueci os personagens, e lembro de algumas falas até hoje... Reli quando tinha 29 anos e foi emocionante, relembrei o que vivia naquela época, a emoção a cada página... O livro me marcou mesmo". - Renata RodriguesCompre aqui.

“Não sei se amaria tanto hoje que sou mais velha, mas me levou a ler muitas outras histórias”. – Amanda Sousa

“Também foi meu primeiro livro, acho que eu tinha uns 12 anos. Também nunca esqueci os personagens, e lembro de algumas falas até hoje… Reli quando tinha 29 anos e foi emocionante, relembrei o que vivia naquela época, a emoção a cada página… O livro me marcou mesmo”. – Renata Rodrigues

8. Em o “O Dia do Curinga”, um menino viaja pela Europa com seu pai e acaba descobrindo um livro misterioso.

"A história é linda, você embarca em uma viagem junto dos personagens, se imagina com eles em todas as situações e acaba o livro morrendo de saudades dos lugares e personagens". - Samuel Rodrigues

“A história é linda, você embarca em uma viagem junto dos personagens, se imagina com eles em todas as situações e acaba o livro morrendo de saudades dos lugares e personagens”. – Samuel Rodrigues

9. “O Xará” é sobre um americano de origem indiana que odeia o próprio nome e isso marca toda a vida dele. Faz a gente refletir sobre identidade e lugar no mundo.

"O personagem principal trava uma batalha cultural em sua mente: fica entre os amigos que fumam maconha e ouvem rock na faculdade e a própria família, que emigrou da Índia e espera que ele mantenha as tradições da religião bengali. Qualquer pessoa que já se pegou pensando para onde ir na vida pode se identificar com as perguntas que ficam na cabeça do protagonista". - Alexandre de AragãoVia a assinatura de livros TAG ou por R$ 37 na Saraiva.

“O personagem principal trava uma batalha cultural em sua mente: fica entre os amigos que fumam maconha e ouvem rock na faculdade e a própria família, que emigrou da Índia e espera que ele mantenha as tradições da religião bengali. Qualquer pessoa que já se pegou pensando para onde ir na vida pode se identificar com as perguntas que ficam na cabeça do protagonista”. – Alexandre de Aragão

10. “Orgulho e Preconceito” da Jane Austen tem personagens femininas muito marcantes.

"Olha esse trecho do livro: 'sei que é generosa demais para fazer pouco de mim. Se os seus sentimentos são ainda os mesmos que manifestou em abril passado, diga-mo imediatamente. O meu amor e os meus desejos permanecem inalterados; mas basta uma única palavra sua para silenciar-me para sempre'. Morri aí!" - Marcella Cardinelli"É um daqueles livros nos quais você se sente familiarizada com os personagens, você vê um video na internet e pensa "nossa é tão a Lydia fazer isso haha" como se fossem seus amigos. E eu gosto do jeito que a Jane Austen conta a história, ela vai mostrando os sentimentos da Elizabeth ao longo do livro mudando, tem muita sutileza, subjetividade e acontecimentos que vão moldando e ela não precisa falar de forma direta, porque tá tudo nas entrelinhas. É um livro incrível." - Lívia CostaPor R$ 31 na Saraiva.

“Olha esse trecho do livro: ‘sei que é generosa demais para fazer pouco de mim. Se os seus sentimentos são ainda os mesmos que manifestou em abril passado, diga-mo imediatamente. O meu amor e os meus desejos permanecem inalterados; mas basta uma única palavra sua para silenciar-me para sempre’. Morri aí!” – Marcella Cardinelli

“É um daqueles livros nos quais você se sente familiarizada com os personagens, você vê um video na internet e pensa “nossa é tão a Lydia fazer isso haha” como se fossem seus amigos. E eu gosto do jeito que a Jane Austen conta a história, ela vai mostrando os sentimentos da Elizabeth ao longo do livro mudando, tem muita sutileza, subjetividade e acontecimentos que vão moldando e ela não precisa falar de forma direta, porque tá tudo nas entrelinhas. É um livro incrível.” – Lívia Costa

11. Em “Americanah”, uma imigrante africana de classe média conta de um jeito irresistível sua vida, seus amores, e como é ser negra nos Estados Unidos.

"Faz refletir sobre a condição feminina no mundo, a questão racial em diferentes contextos e os relacionamentos entre pessoas de diferentes origem. É uma linda história de amor, além de tudo isso, e a autora é uma mulher muito foda". - Yssyssay Rodrigues"Gostei muito do livro, apesar de comparar EUA e Londres com a Nigéria, identifiquei o Brasil em tantas partes que a história poderia ter se passado aqui! Enfim, adorei a visão das personagens e a narração". - Mabile DiasTem na Cultura por R$ 47

“Faz refletir sobre a condição feminina no mundo, a questão racial em diferentes contextos e os relacionamentos entre pessoas de diferentes origem. É uma linda história de amor, além de tudo isso, e a autora é uma mulher muito foda”. – Yssyssay Rodrigues

“Gostei muito do livro, apesar de comparar EUA e Londres com a Nigéria, identifiquei o Brasil em tantas partes que a história poderia ter se passado aqui! Enfim, adorei a visão das personagens e a narração”. – Mabile Dias

12. Em “Grande Sertão: Veredas” tem uma história não linear e cheia de metáforas sobre o bem e o mal.

"Cada dia lia apenas algumas páginas e levei três meses pra terminar o livro porque não queria me desapegar. Passei um tempão muito triste, com saudade real oficial de Diadorim e Riobaldo :( Até hoje, volta e meia releio ou folheio o livro só pra ver se o diabo continua na rua, no meio do redemoinho". - Helaine MartinsNa Saraiva por R$ 39.

“Cada dia lia apenas algumas páginas e levei três meses pra terminar o livro porque não queria me desapegar. Passei um tempão muito triste, com saudade real oficial de Diadorim e Riobaldo 🙁 Até hoje, volta e meia releio ou folheio o livro só pra ver se o diabo continua na rua, no meio do redemoinho”. – Helaine Martins

13. “A Sombra do Vento”, do autor espanhol Carlos Luiz Zafón junta mistério, romance e amor pelos livros.

"Fiquei super apegada ao personagem Fermín, um dos mais cativantes que já encontrei nas minhas leituras. Ah, como ele só vivia com fome, me identifiquei muito com ele!" - Nívea Cruz"Suspense do início ao fim e final surpreendente. Recomendo a todos. É uma série de livros, sendo que esse é o primeiro. Os outros são 'O Jogo do Anjo', 'Prisioneiro do Céu' e mês que vem vai lançar o quarto, 'Labirinto dos Espíritos'". - Patrícia BulkoolTem na Saraiva, por R$ 35.

“Fiquei super apegada ao personagem Fermín, um dos mais cativantes que já encontrei nas minhas leituras. Ah, como ele só vivia com fome, me identifiquei muito com ele!” – Nívea Cruz

“Suspense do início ao fim e final surpreendente. Recomendo a todos. É uma série de livros, sendo que esse é o primeiro. Os outros são ‘O Jogo do Anjo’, ‘Prisioneiro do Céu’ e mês que vem vai lançar o quarto, ‘Labirinto dos Espíritos'”. – Patrícia Bulkool

14. “Fraser e Billy”, de Louise Booth, é a história da amizade entre um menino autista e um gato.

"Mudou minha percepção para várias coisas da vida e aumentou minha empatia para pessoas em situações vulneráveis e diferentes de nós, no caso de Fraser, que é autista". - Larissa WakoPor R$ 29,90 na Saraiva.

“Mudou minha percepção para várias coisas da vida e aumentou minha empatia para pessoas em situações vulneráveis e diferentes de nós, no caso de Fraser, que é autista”. – Larissa Wako

15. “A Insustentável Leveza do Ser” mostra até onde vai a profundidade dos sentimentos.

"O livro me mostrou que as lutas internas de cada um são valiosas e que apesar de toda adversidade ainda é possível encontrar algo do que se orgulhar. Thomas, Teresa, Franz e Sabina são pessoas que se tornam tão próximas do leitor que é quase como ter amigos em locais distantes". - Wellington MarsNa Saraiva por R$ 17.

“O livro me mostrou que as lutas internas de cada um são valiosas e que apesar de toda adversidade ainda é possível encontrar algo do que se orgulhar. Thomas, Teresa, Franz e Sabina são pessoas que se tornam tão próximas do leitor que é quase como ter amigos em locais distantes”. – Wellington Mars

16. “O Terceiro Travesseiro” é sobre a descoberta da própria sexualidade.

"Lembro que juntei todo o dinheiro que eu tinha e comprei escondido dos meus pais em uma livraria da cidade. O livro trata um pouco sobre a sexualidade, as descobertas, relacionamentos em si e na época eu não tinha muita segurança em expor isso a alguém mas também não queria me sentir sozinho. Saí da livraria e fui direto para uma praça ler, era manhã de sábado. Passei o dia inteiro lendo e terminei no mesmo dia, não era tão extenso e a escrita do autor me deixou bastante inserido na história. No final voltei pra casa chorando. Lembro-me que precisei tomar um ônibus para ir para casa, mas estava tão abalado que no ônibus as pessoas vinham me acudir haha. Fiquei mal por semanas até digerir a história e entender que se tratava apenas de uma ficção. De certa forma o livro me deu bastante segurança para tentar entender as mudanças que ocorriam na época". - Christian OliveiraVocê pode baixar esse livro grátis (legalmente) aqui.

“Lembro que juntei todo o dinheiro que eu tinha e comprei escondido dos meus pais em uma livraria da cidade. O livro trata um pouco sobre a sexualidade, as descobertas, relacionamentos em si e na época eu não tinha muita segurança em expor isso a alguém mas também não queria me sentir sozinho. Saí da livraria e fui direto para uma praça ler, era manhã de sábado. Passei o dia inteiro lendo e terminei no mesmo dia, não era tão extenso e a escrita do autor me deixou bastante inserido na história. No final voltei pra casa chorando. Lembro-me que precisei tomar um ônibus para ir para casa, mas estava tão abalado que no ônibus as pessoas vinham me acudir haha. Fiquei mal por semanas até digerir a história e entender que se tratava apenas de uma ficção. De certa forma o livro me deu bastante segurança para tentar entender as mudanças que ocorriam na época”. – Christian Oliveira

17. “História do Novo Sobrenome”, é o segundo livro da “Trilogia Napolitana”, que acompanha duas amigas da infância até a vida adulta.

"Lembro de ter ficado por dias assombrado com a atitude de uma das personagens e me peguei refletindo sobre suas consequências, como se fosse eu a pessoa a ser atingida por aquela "traição". Os livros da Elena Ferrante sempre trazem questionamentos e desdobramentos que afetam seus leitores".Na Livraria da Travessa por R$ 35.

“Lembro de ter ficado por dias assombrado com a atitude de uma das personagens e me peguei refletindo sobre suas consequências, como se fosse eu a pessoa a ser atingida por aquela “traição”. Os livros da Elena Ferrante sempre trazem questionamentos e desdobramentos que afetam seus leitores”.

18. “Camilo Mortágua”, de Josué Guimarães, é triste mas muito envolvente.

"Ele se passa em Porto Alegre, então eu fico imaginando os endereços e tentando descobrir como era a cidade na época. Eu penso nele como uma pessoa real, penso no porquê dele não ter casado com a Mocinha, suas escolhas, as tragédias da família. E o final, que não é bem final, me faz chorar toda vez". - Mariana PujolPor R$ 52 no site da editora L&PM.

“Ele se passa em Porto Alegre, então eu fico imaginando os endereços e tentando descobrir como era a cidade na época. Eu penso nele como uma pessoa real, penso no porquê dele não ter casado com a Mocinha, suas escolhas, as tragédias da família. E o final, que não é bem final, me faz chorar toda vez”. – Mariana Pujo

19. O protagonista de “O Caçador de Pipas” mora há anos nos Estados Unidos, mas volta ao Afeganistão para fazer as contas com o passado.

"Até hoje relembro da emoção e das lágrimas que derramei no trecho em que o narrador diz que olhou a pipa de cima abaixo para verificar que ela estava inteira. Lembro que taquei o livro na parede e chorei muito. Só consegui retomar a leitura dias depois". - Camila ChristoNa Saraiva por R$ 23.

“Até hoje relembro da emoção e das lágrimas que derramei no trecho em que o narrador diz que olhou a pipa de cima abaixo para verificar que ela estava inteira.

Lembro que taquei o livro na parede e chorei muito. Só consegui retomar a leitura dias depois”. – Camila Christo

20. O protagonista de “O Extraordinário” tem uma deformidade facial, e vai começar a escola. Mas calma, o livro é good vibes.

"Li ano passado e fiquei completamente apaixonada pelos personagens e na história em geral ,é um daqueles livros que enquanto você não termina, não para de ler. Eu adoraria uma continuação para saber o que aconteceu com o Auggie e sua família mas a R.J. sempre disse que esse é um livro que não tem continuação. Estou muito ansiosa para o filme espero que seja a altura do livro". - Caroline Alves Gomes CarneiroNa Cultura por R$ 39.

“Li ano passado e fiquei completamente apaixonada pelos personagens e na história em geral ,é um daqueles livros que enquanto você não termina, não para de ler. Eu adoraria uma continuação para saber o que aconteceu com o Auggie e sua família mas a R.J. sempre disse que esse é um livro que não tem continuação. Estou muito ansiosa para o filme espero que seja a altura do livro”. – Caroline Alves Gomes Carneiro

fonte: buzzfeed

AnteriorPróximo
O Avôvó é um portal colaborativo criado especialmente e inteiramente dedicado a um público cada vez mais conectado: a terceira idade. Aqui, não só o idoso se sente em casa. Nosso objetivo é também levar conteúdo relevante para familiares, amigos e profissionais que cuidam dessas gerações que chegam à melhor idade redefinindo conceitos e com cada vez mais interatividade e independência, mostrando que idade é só um número.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *